Barragens beneficiam agricultores do agreste

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/06/2012 às 11:07:00

Uma nova paisagem começa a tomar conta de pequenas propriedades rurais localizadas no município de Itabaiana, localizado a 54 quilômetros da capital. A região, uma das prejudicadas pela falta de chuva durante todo o primeiro semestre deste ano, está sendo beneficiada com a construção de 200 pequenas barragens, fruto de um projeto desenvolvido pelo Sebrae Sergipe com o apoio da Fundação Banco do Brasil, Embrapa e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) e Prefeitura de Itabaiana.
A técnica foi desenvolvida há mais de dez anos pela Embrapa Milho e Sorgo, do município de Sete Lagoas (MG), e consiste na criação de pequenos açudes para a captação e retenção das águas das chuvas. Além de garantir o armazenamento do líquido, permitindo a sua utilização nas colheitas e criação de animais, as barragens contribuem para evitar assoreamentos e enxurradas, revitalizar nascentes e elevar os níveis dos lençóis freáticos.
No povoado Flechas, o modelo está sendo implementado na propriedade do agricultor José Francisco de Carvalho, que já aguarda com ansiedade a chegada das chuvas para garantir a sua reserva de água. "Aqui planto batata, milho e feijão e sempre enfrentamos dificuldades para garantir a irrigação das hortas. Com a barragem esse sufoco não existirá mais".
Lá, a agricultora Maria Francisca Santos também não vê a hora de pôr fim às dificuldades enfrentadas por conta da estiagem. "A barragem vai nos ajudar muito. Sofremos bastante esse ano com a falta de água, mas esperamos que essa situação não se repita mais. È muito bom saber que poderemos ter água durante a seca".

Mais beneficiados - Em Itabaiana, a técnica trará benefícios para cerca de 800 famílias, devidamente cadastradas e selecionadas pela Secretaria Municipal de Agricultura, residentes em 45 povoados. Cada uma delas investe apenas R$ 20, que são utilizados nos custeio dos equipamentos necessários à escavação das áreas. O restante dos recursos é subsidiado pelo projeto.
Cada barragem é capaz de armazenar até 300 mil litros de água. No povoado Taboleiro da Telha, uma das outras regiões atendidas pelo projeto, o desafio do agricultor Jason Luiz Santana é garantir o cultivo de peixes na propriedade. " A meta é conseguir uma outra alternativa de renda, que possa trazer benefícios para a minha família. Estou empolgado com a ideia e em breve espero viabilizá-la".
A proposta do projeto, de acordo com a analista do Sebrae, Maria Lúcia Alves, é construir mil pequenas barragens em 18 cidades sergipanas no prazo de quatro meses, mediante condições climáticas favoráveis. A ação já contempla também os municípios de Nossa Senhora da Glória e Santa Rosa de Lima. "Queremos atender as pequenas e médias propriedades, prioritariamente daquelas regiões onde a instituição já desenvolve alguns projetos", explica Maria Lúcia.