"A Mesa Vermelha"

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/03/2014 às 00:04:00

O Museu da Gente Sergipana exibirá na próxima terça-feira, 1º de abril, o documentário "A Mesa Vermelha", filme que apresenta depoimentos de 23 ex-presos políticos sobre a experiência que tiveram nos presídios masculinos pernambucanos durante a ditadura militar brasileira (1964-1985). O lançamento do filme acontecerá às 19h, com exibição gratuita e aberta ao público. Será uma das poucas ações no Estado para mostrar a tortura e repressão patrocinadas pelos militares, com o apoio de segmentos expressivos da população brasileira.

Dirigido pela cineasta pernambucana Tuca Siqueira, o documentário resgata a memória dos anos de chumbo através dos depoimentos de 23 militantes de organizações de esquerda da época que estiveram detidos, de 1969 a 1979, entre a antiga Casa de Detenção, a atual Casa da Cultura, em Recife, e a Penitenciária Professor Barreto Campelo, na Ilha de Itamaracá.

Entre os entrevistados do filme está o sergipano Bosco Rolemberg. Ex-preso político e militante do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Bosco, de 66 anos, viveu por cinco anos, entre 1974 e 1979, atrás das grades da Penitenciária Barreto Campelo, na Ilha de Itamaracá. Ele é casado com a ex-presa política sergipana Ana Côrtes, que também permaneceu detida em Pernambuco, entre junho e novembro de 1974, nas dependências da Delegacia de Ordem Política e Social (DOPS), no centro de Recife.
Gravado em Recife, entre maio e junho de 2012, o documentário foi, para Bosco, o momento de reencontrar colegas de luta e cela que não via há 35 anos, e de reencontrar sua própria história, seus silêncios, suas dores e suas convicções desses anos sombrios. "Eu vim porque é uma experiência que não pertence a mim. Pertence ao povo brasileiro, pertence aos comunistas do Brasil, pertence aos meus filhos, pertence ao meu neto, pertence a minha esposa. Então eu não tinha o direito de ficar com isso escondido ou guardado", afirma Bosco no filme, no depoimento que abre "A Mesa Vermelha".

Com 80 minutos de duração, o documentário é fruto do Projeto Marcas da Memória da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça em parceria com o Movimento Tortura Nunca Mais de Pernambuco. Idealizado pelas ex-presas políticas Lilia Gondim e Yara Falcón, desde que foi lançado, em maio de 2013, "A Mesa Vermelha" já passou por Recife, Brasília e Porto Alegre, e circulará nos próximos meses por várias cidades do país, com o Festival Cinema pela Verdade, da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça.
O Museu da Gente Sergipana fica localizado na Avenida Ivo do Prado, 398, no centro histórico de Aracaju, e o evento conta com o apoio do Instituto Banese, do Banco do Estado de Sergipe (Banese), que administra o Museu, e da Secretaria de Comunicação do Governo de Sergipe.  (Com assessoria de imprensa)

Liminar
No Tribunal de Contas causou surpresa a limitar concedida pelo desembargador Ricardo Múcio, do Tribunal de Justiça, suspendendo a sessão marcada para a próxima quinta-feira, que julgaria a aposentadoria compulsória do conselheiro Flávio Conceição de Oliveira Neto. A nova sessão seria realizada por determinação do ministro Humberto Martins, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), porque um auditor participou da sessão de 2007, quando foi decidido o seu afastamento, na vaga de Flávio e votou contra os seus interesses.

Pedido
A decisão do ministro do STJ havia sido tomada em função do pedido da defesa de Flávio Conceição, que voltou a agir, agora no TJSE. O desembargador Ricardo Múcio entende que para realizar a sessão, o TCE tem que começar o processo do zero, abrindo novos prazos para a defesa.

Sem cargos
Apesar da decisão do TJ, Flávio Conceição segue impedido de exercer qualquer cargo público. Ele é réu no processo da Operação Navalha, aceito pela Corte Especial do STJ. Aliás, o chamado 'Evento Sergipe' só tramita em Brasília exatamente pela condição de foro privilegiado de Flávio Conceição.
Insinuações
Pelo menos dois deputados estaduais, Gilson Andrade e Gilmar Carvalho, insistem na tese de que a saída de Euza Missano da Promotoria de Saúde do Ministério Público é obra do governo do Estado. Na sessão de ontem, Gilmar chegou a relatar supostas negociatas envolvendo as eleições que definem o procurador-geral do órgão. Os dois deputados se baseiam em notas de jornais para atacar o governador Jackson Barreto e reafirmar que o senador Eduardo Amorim seria o remédio ideal para a cura definitiva da saúde pública em Sergipe.
Insinuações (2)
Irritada com as insinuações sem fundamento, segundo os governistas, a deputada Conceição Vieira protestou e fez um desafio aos deputados Gilmar Carvalho e Gilson Andrade. "Vocês precisam dizer com clareza se parte do Ministério Público está sendo comprada. É isso que esta Casa está dizendo? A sociedade precisa saber", cobrou a deputada. O líder do governo, deputado Francisco Gualberto, entrou na discussão e disse que insinuações da imprensa através de notas infundadas não devem ser levadas em consideração. Após ouvir Conceição, Gilmar preferiu se retirar da sessão alegando compromissos agendados.

Expectativa
O presidente do Sintrase, sindicato que representa grande parte dos servidores públicos estaduais, Waldir Rodrigues, está confiante que o Plano de Cargos e Salários chegue à Assembleia Legislativa até esta sexta-feira, 28, para começar a tramitar. Segundo ele, essa garantia foi dada pelo próprio governo, já que o prazo final para que seja aprovado, sancionado e implantado ainda em 2014 é o dia 8 de abril.

Reajuste
Durante audiência com os dirigentes do Sindicato dos Policiais Civis, o governador Jackson Barreto disse que "o governo tem responsabilidade e concederá o reajuste linear para o conjunto dos servidores. Coloquei, de forma clara, que o nosso compromisso nesse momento é com o conjunto dos servidores representados pelo Sintrase, que não foi beneficiado nos vários momentos em que servidores contaram com aumentos e concessão de vantagens", pontuou o governador. No final da tarde os polciais civis anunciaram a suspensão por 30 dias da paralisação iniciada na semana passada.

Plano de cargos
Jackson disse ainda que "é importante afirmar que o plano de cargos e salários que vamos enviar para a Assembleia Legislativa contempla grande parte dessas reivindicações relativas a incorporação de gratificações e reajuste de vencimentos que vem sendo apresentada por diversos sindicatos".

Números positivos
Uma série de números positivos registrados no Hospital Regional de Propriá, conhecido como São Vicente de Paula, durante o ano de 2013, foi o motivo do discurso do deputado Francisco Gualberto (PT) ontem na Assembleia. Com documentos em mãos, ele mostrou que 187.771 atendimentos foram registrados no ano. Foram efetuados procedimentos clínicos com 1.125 partos normais e 547 cesarianas; 42.430 exames, sendo mais de 200 cirurgias eletivas (programadas); foram 2.358 internamentos, além de duas etapas de mutirões de cirurgia de catarata (junho e agosto), beneficiando mais de 80 pessoas.

Números positivos (2)
Gualberto fez duras criticas aos governos anteriores a 2007 que deixaram inúmeros hospitais regionais fechados. Entre eles, o de Propriá, Ribeirópolis, Glória, Lagarto, Maruim e Nossa Senhora do Socorro. "Nosso governo percebeu que era preciso fazer algo nas regiões para desafogar o atendimento no Hospital de Urgência, que é de alta complexidade", disse. "E se hoje ainda existe superlotação no Huse, imagine o que seria daquele hospital se não fosse esse modelo de regionalização implantado por Marcelo Déda?".

Veja essa...

"O líder do governo, deputado Francisco Gualberto (PT), reside em outro estado ou provavelmente em outro país". A declaração é do líder da oposição, deputado estadual Venâncio Fonseca, pronunciada logo após ouvir o colega petista falar sobre a situação da área de Saúde em Sergipe. "Gualberto não mora em Sergipe. Reside em outro estado da federação. Nem sei se é o Brasil. O deputado Gilson lembrou que em Boquim havia duas maternidades. Fecharam as duas, e agora Estância perde uma maternidade", lamentou.

Curtas

O senador Antonio Carlos Valadares (PSB) participou ontem de Sessão Solene do Congresso Nacional em comemoração o Dia Internacional da Mulher, celebrado no dia 8 de março. A sessão premiou cinco mulheres com o Diploma Mulher-Cidadã Bertha Lutz.

Neste ano, mais uma sergipana foi agraciada com a premiação. Maria Lygia Maynard Garcez Silva é presidente da Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos de Sergipe (Apada). A ONG atua há 22 anos no atendimento diário a jovens carentes e no encaminhamento dos mesmos para o mercado de trabalho e cursos profissionalizantes.
O vereador Iran Barbosa (PT) destacou ontem, na tribuna da Câmara Municipal de Aracaju, a pauta das 30 horas semanais para os assistentes sociais do município de Aracaju, que estão em greve há quase 30 dias, lutando por esta garantia na carreira, sem redução de direitos.

Os assistentes sociais participaram de tribuna livre, onde expuseram suas dificuldades de negociação com a Secretaria de Saúde. "A busca pelas 30 horas como jornada de trabalho para os assistentes sociais no município de Aracaju é uma necessidade imperativa de uma lei federal", disse o vereador.