Levantamento florestal de Sergipe será concluído em Agosto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/04/2014 às 00:55:00

Debaixo do ardente sol ou mesmo em dias chuvosos, semana a semana, mesmo nos sábados, domingos e até em dias de feriados, biólogos, engenheiros florestais e engenheiros agrônomos vem entrando em áreas públicas rurais e na grande maioria, em propriedades privadas visando coletar as informações sobre os recursos florestais de Sergipe, assim como realizar pesquisa socioambiental junto à população do entorno da região trabalhada. São cerca de 20 profissionais contratados pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), objetivando atender a demanda do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), que é a  implementação do Inventário Florestal Nacional no Brasil (IFN-BR).

Após virem do município de Capela, a cidade sede dessa nova etapa do levantamento florestal do Estado para a região Leste do Estado de Sergipe, o levantamento vem sendo realizado no município de Itabaianinha. Segundo o engenheiro agrônomo da Empresa Flora Nativa, supervisor do Inventário Florestal de Sergipe, Danivio Batista Carvalho Vasconcelos, cada região tem um ponto de origem para inicialização dos serviços na região.
"Procuramos um município com maior proximidade dos pontos amostrais que irão ser trabalhados pelas equipes, e que este ponto tenha índice populacional com cerca de 30 mil habitantes", afirma Danivio. Ressalta que para essa região de Sergipe, a partir do ponto central, exatos 33 conglomerados (pontos amostrais) serão estudados pelos profissionais.
"Em cada um dos pontos as equipes fazem o trabalho biofísico da área. Eles adquirem informações como número, altura, diâmetro e espécies de árvores, tipo de solo, estoque de carbono e biomassa. Também, em consonância a esse trabalho, realizam pesquisa socioambiental para conhecer a relação das populações locais com a floresta", enfatiza o supervisor.

Revela o supervisor do Inventário Florestal de Sergipe, um dos trabalhos minuciosos realizado pela equipe é o de herborização. "Esse processo se dá após coleta de vegetação em campo. Com material em mãos, geralmente folha e frutos de árvores são colocados na prancha para identificação da espécie e secagem.  Feito essa identificação, o material é encaminhado para o Herbário da Universidade Federal de Sergipe (UFS),a fim de ser catalogado", explica.

De acordo com o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos em Sergipe, Genival Nunes, o objetivo do inventário é fomentar e aprimorar a implementação de políticas públicas para a conservação das florestas. "Sergipe teria originalmente coleta em 55 pontos amostrais para levantar os recursos florestais. Entretanto, esse número passou para 177 pela necessidade de o Governo do Estado obter mais informações sobre as regiões onde se localizam os principais mananciais hidrográficos do Estado", frisou.