QUE VEXAME, A PRESIDENTE ESCAPOU PELOS FUNDOS

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/04/2014 às 09:22:00

Desde que começou a funcionar, lá se vão quase 160 anos, o Poder Legislativo de Sergipe nunca viveu momentos tão deploravelmente bizarros. Já imaginaram, numa época de democracia plena, uma presidente da Assembleia Legislativa tropeçando no salto alto, correndo pelos corredores até alcançar o elevador privativo, descendo até a garagem e saindo abaixada no fundo de um carro preto em alta velocidade? Foi exatamente isso, essa cena desconcertante que os funcionários da Assembleia e alguns deputados assistiram, nessa sexta-feira, dia 4. A presidente do Poder legislativo de Sergipe, Angélica Guimarães, deixou apressadamente o seu gabinete, e fugiu em disparada. A razão da esbaforida correria da nobre deputada? O aviso que lhe foi transmitido por servidores de que um oficial de justiça estava chegando para entregar-lhe a liminar do desembargador Ricardo Múcio, e exigir-lhe a assinatura no recibo.
A pergunta que se faz agora é, se uma pessoa que patrocinou cena tão deprimente, e que levou o Poder Legislativo sergipano ao fundo do poço da desmoralização, teria condições para exercer o cargo de Conselheira do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe?
Depois do Legislativo, qual a próxima instituição republicana que será achincalhada em consequência da ousadia sem limites do homem de negócios e dono de 12 partidos políticos?