Angélica Guimarães é eleita por unanimidade para a vaga de conselheira do TCE

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A sessão que confirmou Angélica para o TCE foi rápida
A sessão que confirmou Angélica para o TCE foi rápida

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/04/2014 às 00:33:00

A presidente da Assembleia Legislativa, deputada Angélica Guimarães (PSC), foi eleita por unanimidade para a vaga de conselheira do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), na sessão que aconteceu na manhã desta terça-feira. A parlamentar contou com os 23 votos dos colegas. Angélica era candidata única à vaga deixada a partir da aposentadoria do conselheiro Reinaldo Moura.

Após a eleição, Angélica Guimarães agradeceu o voto dado pelos demais deputados. Em seu discurso, a conselheira eleita relembrou sua trajetória política, com suas passagens como prefeita do município de Japoatã, os mandatos no legislativo estadual e a rápida passagem na interinidade à frente do governo do Estado. Ela falou também de sua formação acadêmica, além de Medicina, em Gestão Pública e pós-graduação em Contabilidade Pública e Responsabilidade Fiscal. "Portanto, me sinto preparada para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas por toda experiência administrativa", avaliou.

Em seu discurso, Angélica Guimarães disse que aprendeu que a vida é feita de gestos e por isso queria agradecer a atitude do colega Luiz Mitidieri, que pensando na unidade da casa tirou o seu nome para também concorrer à vaga do TCE, da mesma forma ao deputado Garibalde Mendonça (PMDB), que segundo ela, num gesto de desprendimento, deixou a disputa, em nome da unidade da Casa, no sentimento de união. "Elevando acima de tudo o nome do Poder Legislativo", declarou.
 "Vou continuar colaborando de forma eficaz com o desenvolvimento do Estado de Sergipe. Procurarei corresponder à confiança de todos sendo zelosa e transparente, exigindo lisura na aplicação dos recursos públicos, serei cuidadosa, compreensiva e desprovida do açodamento para punir. Deixarei a vida política partidária para adotar a nova missão de orientar e fiscalizar gestores e entes públicos que têm como obrigação zelar pelos recursos públicos para oferecer políticas públicas de qualidade para todos os sergipanos.