Jackson recebe agricultores e discute melhorias para assentamentos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Jackson Barreto discursa durante a reunião
O governador Jackson Barreto discursa durante a reunião

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 16/04/2014 às 00:33:00

Na manhã desta terça-feira o governador Jackson Barreto reuniu secretários de Estado para receber representantes do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA). Juntos, eles discutiram melhorias estruturais nas comunidades agrícolas do Sertão do estado. Abastecimento de água, limpeza de barragens, construção de cisternas foram alguns dos temas discutidos.

Durante três horas, o governador e secretários de Estado ouviram e discutiram 42 itens das áreas de agricultura, irrigação, abastecimento de água, meio ambiente, infraestrutura, habitação, educação, cultura, políticas públicas para as mulheres e para a juventude.
"Estou feliz com o encontro e o vejo como uma forma nova de governar, ouvindo os movimentos sociais, neste caso, o Movimento dos Pequenos Agricultores cujas demandas discutidas vão de organização dos sistemas camponeses de produção, políticas de segurança hídrica, construção de açudes, barragens, ampliação das redes de abastecimento de água, atuação da Deso na região, presenças de técnicos da Deso na localidade; políticas de permanência dos jovens no campo; violência contra a mulher; políticas de cultura para o Sertão. Fico impressionado com o nível de organização do nosso povo e fico feliz porque estamos no caminho certo. O governo de Sergipe quer mais", afirmou Jackson.
"Essas providências são imediatas. O governador do Estado tem que reconhecer que a Deso precisa de recursos e estes recursos não estão na Deso. Semana passada, estive em Brasília para discutir a contrapartida das obras do PAC, que incluem construção de adutoras e de rede de abastecimento. Fomos na Caixa Econômica e do BNDES e os diretores nos garantiram a liberação dos recursos em abril. Com esse dinheiro, poderemos atender diversas demandas postas aqui. Quero que essa conversa seja proveitosa para os agricultores e para os técnicos do governo", afirma Jackson.

A falta de água é uma das principais reclamações dos agricultores do Sertão. Rafaela Alves é uma das representantes do MPA e enumerou alguns povoados que sofrem com déficit de abastecimento.
"Temos várias comunidades sem água e com falta de água, como Curralinho, Poço Redondo e Cajueiro. Tem comunidade que tem sete quilômetros do rio e não tem água. Nós nos mobilizamos porque a falta de água é uma situação que nos limita".

O secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano, Carlos Melo, afirmou que as equipes técnicas da Sedurb e da Deso farão um levantamento das áreas que não possuem rede de abastecimento. "Minha sugestão é pontuar as localidades em Poço Redondo e Canindé e na próxima semana vamos encaminhar as equipes da Deso para saber onde tem problema de abastecimento e onde precisa ser ampliado. Hoje, temos o diagnóstico da rede de abastecimento do Sertão, os locais onde precisamos implantar e melhorar a rede. As obras somam R$ 750 milhões se buscaremos esses recursos junto aos ministérios.

Já o presidente da Deso, SérgioFerrari, explicou que a falta de água ocorrida em alguns municípios e povoados este ano foi causada por problemas na rede elétrica. "Nos locais que já existem adutoras, vamos fazer extensão para atender os povoados que estão com problemas de abastecimento. É preciso deixar claro que problemas de abastecimento de energia elétrica afeta a distribuição de água. Além disso, também temos o furto de água que prejudica o abastecimento".