Comércio varejista sergipano mantém trajetória de crescimento

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/04/2014 às 00:36:00

Divulgada ontem, 15, a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que o Comércio Varejista de Sergipe mantém, em 2014, uma boa trajetória de crescimento. A pesquisa é responsável por produzir indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do comércio varejista no país, investigando a receita bruta de revenda nas empresas formalmente constituídas.

De acordo com a pesquisa, em fevereiro deste ano foi registrado aumento de 1,5% no volume de vendas em relação ao mês anterior - o quinto maior aumento do país, atrás somente de Amapá (3,8%), Pará (2,4%), Mato Grosso (2,1%) e Ceará (1,8%), equiparando-se com o estado de Alagoas. Comparado ao mês de janeiro, o crescimento de Sergipe em fevereiro foi superior ao do Brasil, que ficou em 0,2% no volume de vendas.

Analisando a taxa de variação do volume de vendas do varejo de Sergipe, entre fevereiro de 2014 e fevereiro de 2013, verifica-se uma evolução de 7,3%. A média de crescimento do Brasil foi de 8,5%.
"Este resultado, de fevereiro de 2014, sinaliza a manutenção de taxa positiva de crescimento do comércio varejista sergipano no ano de 2014, o que é uma boa notícia para o Estado", explica o economista e secretário do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Saumíneo Nascimento.
Em relação aos dados apresentados na pesquisa, Saumíneo afirma que torce para que a população sergipana, que está tendo mais acesso ao mercado de trabalho, tenha um bom nível de consumo e possa auxiliar no bom desempenho do comércio sergipano. "A orientação do governador Jackson Barreto é a de que a Sedetec trabalhe com empenho, utilizando os instrumentos disponíveis para alavancar o comércio sergipano", conclui.

Pesquisa - Os setores que fazem parte da pesquisa são o de supermercados e hipermercados, produtos alimentícios, bebidas, fumo, móveis e eletrodomésticos, combustíveis e lubrificantes, vestuário, calçados e tecidos, móveis e eletrônicos, artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria e cosméticos, equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, livros jornais, revistas e papelaria, etc.