Obras do Canal de Xingó serão autorizadas pela Codevasf e Governo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Jackson Barreto em audiência com Elmo Vaz
O governador Jackson Barreto em audiência com Elmo Vaz

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 12/06/2014 às 02:04:00

O presidente da Codevasf, Elmo Vaz, virá a Sergipe ainda este mês para assinar a ordem de serviço do Canal de Xingó. Vaz e o governador Jackson Barreto, em audiência na terça, 10, em Brasília, definiram Canindé do São Francisco como o local do ato público.
"Será a maior obra estruturante de Sergipe de todos os tempos", comemorou o governador. Em todas as fases, o projeto vai despender R$ 2,4 bilhões num projeto de "uso múltiplo da água e de inclusão produtiva, e não apenas de irrigação", resumiu Elmo Vaz.

Com o Canal de Xingó, o Governo de Sergipe pretende maximizar a oferta de recursos hídricos no Alto Sertão sergipano e, com isto, erradicar a pobreza no semiárido, região que concentra os mais baixos Índices de Desenvolvimento Humano (IDHs) do Estado.

Projeto concebido quando o ex-governador Marcelo Déda comandava o Estado, o Canal de Xingó ganhou, desde o início, o apoio declarado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Depois, foi a vez de a presidenta Dilma Rousseff manifestar seu entusiasmo pela iniciativa.
Durante a audiência de terça, o presidente da Codevasf  reuniu sua equipe para assistir a uma apresentação sobre o projeto. A apresentação foi feita pessoalmente pelo secretário-executivo da área de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura, Luiz Augusto Fernandes.

Obra - Localizado entre os estados de Sergipe e Bahia, o canal terá extensão de 305 quilômetros e levará água para os municípios Canindé de São Francisco, Nossa Senhora da Glória, Monte Alegre, Poço Redondo, Porto da Folha, Paulo Afonso e Santa Brígida que historicamente sofrem com a seca.

O projeto orçado em R$ 2,4 bilhões será executado pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2), está dividido em três partes e consiste na captação e distribuição de água do rio São Francisco para os municípios de Sergipe e Bahia. A primeira parte terá 130 quilômetros de extensão e ligará Santa Brígida, na Bahia, a Poço Redondo, beneficiando cerca de 70 mil pessoas. Com vazão máxima de 33 metros cúbicos por segundo, o Canal de Xingó terá sua nascente em Paulo Afonso, na Bahia. De lá, por gravidade, a água percorrerá os primeiros 103 quilômetros do empreendimento, de Paulo Afonso até Poço Redondo, em Sergipe, na área do perímetro de irrigação Jacaré-Curituba.