Quem é o pitbull da mídia sergipana?

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/06/2014 às 00:39:00

* José Eloízio da Costa

Nas ultimas duas semanas um debate interessante tem vinculado nas redes sociais e que suscitou reação por parte de alguns jornalistas da mídia conservadora (ou "neocon") que "sentiu agredida" pelos argumentos apresentados em artigo escrito pelo vice-presidente nacional do PT Alberto Cantalice, intitulado "A desmoralização dos pitbulls da mídia", publicado no Brasil 247, jornal digital (16/06/2014), onde cita nove jornalistas, que, de forma organizada atacam diuturnamente o PT, Lula e a Dilma, destilando ódio e rancor e acusam esse partido, por exemplo, como "inventor da corrupção".
Nessa lista constam figuras bem conhecidas da mídia reacionária, de perfil da extrema direita mais atrasada, como Reinaldo Azevedo, Arnaldo Jabor, Guilherme Fiúza, Lobão e outros. Nesse artigo, Cantalice afirma que essa turma tem trabalhado desde 2003 contra as políticas sociais do governo, com ataques, deboches e de forma cínica afrontam essas ações, assumindo como inimigos do bolsa família, do Prouni, da política de cotas, das demarcações das terras indígenas e agora culminaram em apostarem no fracasso da copa, que, por meses atacaram sistematicamente e teve como ápice de seu subproduto, os xingamentos e ofensas contra a presidente Dilma no jogo da abertura da Copa. O tiro saiu pela culatra, às indignações foram maiores que apoio aos xingamentos e o que passou foi à arrogância, a falta de educação e principalmente o preconceito de classe da elite paulista, e que envergonharam o Brasil perante o mundo, nos dizeres de Leonardo Boff: "o que ocorreu revelou aos demais brasileiros e ao mundo que tipo de lideranças temos ainda no Brasil. Envergonharam-nos aqui e lá fora" (Cartamaior, 18/06/14, on line).

A partir da publicação do artigo do petista, a turma da reação entrou em campo e iniciou seus conhecidos ataques com argumentos pueris e odientos, e que sinaliza o que teremos pela frente na campanha para as eleições presidenciais. Porém, vozes equilibradas e respeitosas foram na defesa do petista, a exemplo de Jânio de Freitas (Folha de S.Paulo) e Alisson Almeida (Observatório da Imprensa), onde negam a tensão existente entre governo e jornalistas, até porque o autor representa o PT e não o governo, como tenta plantar essa turma. E muito interessante, como afirma o jornalista do Observatório da Imprensa, é que "esses gurus do conservadorismo midiático posam de defensores da liberdade de expressão, mas acham ruim quando são criticados". Estes acham intocáveis, e quando são afrontados, criam todo tipo de subterfúgios. Passaram 12 anos desqualificando o PT e seu governo, apostando no caos e no ódio e agora sentem "ofendidos". Certamente os pitbulls da ultradireita vão destilar sua carga de ódio nos próximos meses, mas agora teremos que estar preparados, até porque estes pregam uma democracia sem povo e estão a serviço de determinados grupos que não suportam os petistas no poder. Até o PSDB apresentou nota em defesa dessa gente, sempre na mesma ladainha da censura e da liberdade de expressão.
Esses protagonistas do apocalipse afirmaram por meses a incapacidade do Brasil sediar a copa e construíram um cenário dantesco que repercutiu na imprensa internacional. E o que estamos observando, até agora, é o sucesso do evento, calando o bico dos profetas do caos e do medo. A imprensa internacional elogia e estranha a atitude dessa imprensa (e claro, de sua infantaria reacionária, através de alguns jornalistas e articulistas), provando o complexo de vira lata protagonizado por Nelson Rodrigues. O escritor Rui Castro foi bem claro quando afirmou em entrevista que a imprensa brasileira teve espírito de porco antes da copa, em uma verdadeira má vontade na cobertura do evento.

E aí queremos saber: em Sergipe, quem é o pitbull da extrema direita que envenena em seus artigos o PT, a Dilma e Lula, e tem um exército de "admiradores", antipetistas de carteirinha, quase nazi-fascistas? Ele incorpora o espírito de porco afirmado por Rui Castro? Ou integra também o rol dos jornalistas citados acima, claro, em uma dimensão menor, onde sistematicamente publica artigos apenas com um fim: debochar, achincalhar e claro, odiar o PT. Seu cinismo é vil, que até prega a importância da "direita democrática". É hilário!
Não precisa dizer quem, basta observar suas dezenas de artigos escritos até agora, o tom é o mesmo: ódio ao PT. E o absurdo é que o PT demonizado sistematicamente por este pitbull, em nível estadual, nunca reagiu. Sequer por uma nota de repúdio. Chegou a hora de reagir, pois o ódio não pode vencer a esperança.

* Professor José Eloízio da Costa - Departamento de Geografia/UFS