12ª Exposição Altares de Santo Antônio no Cultart

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/06/2012 às 11:29:00

Altares, imagens, orações e pedidos por um amor ou um casamento. Essas são tradições que caracterizam as trezenas de Santo Antônio e que podem ser encontradas na 12ª Exposição de Altares de Santo Antônio, aberta ao público no Centro de Cultura e Arte da Universidade Federal de Sergipe (Cultart/UFS) até o próximo dia 30. Treze diferentes instituições confeccionaram os treze altares que compõem a exposição em homenagem ao primeiro santo do mês.
Como parte do evento, acontece a trezena de Santo Antônio. Cada instituição que montou um altar ficou responsável por um dia da trezena, que começou no dia primeiro e termina nesta quarta 13, dia em homenagem ao santo. Na última segunda-feira, 11, foi o dia da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), representada pela Escola Oficina de Arte Valdice Teles (EOAVT) que, junto ao altar montado pelos professores Maria Carneiro e Marcelo Gaspar, fez orações e cânticos ao santo.
Segundo o coordenador da exposição e diretor do Cultart, Otávio Luiz, esta exposição é uma forma de reforçar a tradição dos altares e das rezas, muito comum entre as famílias nordestinas.
"A exposição é um estímulo à tradição dos altares dos santos juninos, que nos dias de hoje está um tanto quanto escassa. Convidamos artistas, decoradores e instituições, como a Escola de Artes, para montarem seus altares e estimular na população essa belíssima e devota tradição, para que ela não se acabe. E o sucesso da exposição está aí, num número cada vez maior de visitantes e de elogios", diz ele.
Para o diretor da EOAVT, Eugênio Enéas, o orgulho de fazer parte de uma exposição como esta é imensurável. "Desde o ano de 2007 a Valdice Teles participa da mostra de altares e é um prazer enorme estarmos aqui mais uma vez. Este ano, os professores fizeram um trabalho diferente, utilizando bastante a técnica do 'fuxico', seja no manto, seja no terço da decoração. Além disso, trouxemos também alunos e professores das oficinas de teatro e acordeom para mostrarem um pouco do seu trabalho. Nosso maior objetivo na exposição é isso: mostrar a tradição e a religiosidade do nosso povo através das artes", comenta o diretor.
A noite encerrou com o forró dos alunos de acordeom do professor Tom, que embalou as conversas e a descontração de alunos, pais de alunos, funcionários da Escola de Artes e do Cultart, além dos visitantes presentes. O Cultart fica localizado na avenida Ivo do Prado, 612, e funciona das 8h às 12h e das 14h às 20h.