Começo complicado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 02/07/2014 às 00:55:00

Pra quem anunciava que iria formar o "maior arco de alianças" da política sergipana, o grupo do senador Eduardo Amorim (PSC) começou a campanha rumo ao governo do Estado de forma muito complicada. A confirmação do candidato a vice-governador, Augusto Franco Neto (PSDB), só saiu por volta da meia-noite de segunda-feira, 30 de junho, data final para a definição de candidaturas e alianças.

E ainda há a possibilidade de Augusto Neto ser forçado pela família, principalmente o pai, empresário Walter Franco, a desistir da empreitada. Walter foi surpreendido ontem de manhã com a notícia de que o filho havia aceitado a indicação, depois de diversos telefonemas, inclusive do candidato do PSDB a presidente da República, senador Aécio Neves (MG), que foi seu colega na Câmara dos Deputados.
Eduardo Amorim e seu grupo estão em campanha aberta desde 2010 quando foi eleito senador, ainda na coligação do então governador Marcelo Déda. A campanha foi planejada em todos os detalhes, uma equipe de marketing foi contratada para acertar tudo, por isso causou surpresa a indefinição em torno do candidato a vice-governador.

Aliás, toda a chapa majoritária só foi fechada de última hora, porque até a semana passada o prefeito João Alves (DEM) negociava apoio tanto com Amorim quanto com o governador Jackson Barreto (PMDB). A candidatura a reeleição da senadora Maria do Carmo Alves é temerária em função do seu estado de saúde, que nos últimos anos atravessou pontos críticos. Nas convenções que participou na segunda-feira, por exemplo, Maria foi vista mais sentada do que fazendo discurso ou cumprimentando eleitores.
Ontem de manhã, no programa da Mix FM, de propriedade de Walter Franco, o radialista George Magalhães fez diversos alertas a Augusto Franco Neto sobre os riscos de participar da chapa de Eduardo Amorim. Um dos questionamentos mais repetidos foi a necessidade que o grupo tem em sempre procurar empresários de grandes grupos econômicos para a apresentação como suplentes de suas chapas.

Em 2010 o escolhido foi Lauro Menezes, o Laurinho da Bonfim, que conseguiu quebrar todas as suas empresas após a empreitada e hoje vive recluso em Miami porque não consegue pagar os credores, inclusive antigos funcionários da empresa de ônibus VCA, que perdeu a concessão em Aracaju. O mesmo acontece com o hotel fazenda Boa Luz, que não vem honrando seus compromissos.

Laurinho, que já assumiu o mandato de senador por quatro meses, ainda alimenta o sonho de ser senador, caso Amorim vença a disputa para o governo do Estado, mas desta vez não pretende participar da aventura do financiamento da campanha, tarefa que os Amorim querem transferir para a família Franco.

Além da dúvida em relação à candidatura de Augusto Franco Neto, os Amorim também estão iniciando oficialmente a campanha com problemas graves com a família do prefeito João Alves. A sua filha Ana e o deputado federal Mendonça Prado, seu sogro, não aceitam participar da campanha de Eduardo Amorim e na segunda-feira, enquanto a coligação realizava uma convenção festiva no Emes, participavam da campanha do PMDB que homologou a candidatura de Jackson.

Mesmo tendo o seu nome incluído na lista de candidatos a deputado federal, Mendonça Prado não pretende abdicar de suas críticas contra a família Amorim, principalmente contra o ex-concunhado Edivan Amorim. As denúncias são graves e ele promete fazer toda a campanha apresentando esses fatos. É bem provável que não tenha espaço no horário reservado na TV, mas poderá fazer a campanha nas ruas e em contato direto com os eleitores.

Jackson Barreto, seu principal adversário, conseguiu reunificar o bloco que sempre participou das campanhas de Marcelo Déda e tem como candidato a vice Belivaldo Chagas, do PSB, que foi vice durante o primeiro mandato de Déda. Até mesmo problemas com Edvaldo Nogueira (PCdoB), que pleiteava a indicação da vaga de senador do grupo, foram contornados e o deputado federal Rogério Carvalho (PT) é candidato único ao Senado.

Jackson está tendo um início de campanha bem mais tranquilo que Eduardo Amorim. E ninguém se surpreenda se nos próximos dias se Augusto Franco Neto desistir da condição de vice, criando novos problemas para o candidato do PSC.

Comunicação
Se for confirmada a candidatura de Augusto Franco Neto como candidato a vice-governador, Amorim fechou o bloco de apoio dos donos dos maiores veículos de comunicação do Estado. Eles são donos das rádios Ilha, Walter Franco é dono da Rede Atalaia, Albano Franco, cujo filho Ricardo é candidato a suplente de Maria do Carmo Alves, é proprietário da TV Sergipe. E ainda tem o Jornal da Cidade que também é da família Franco.

Cerco
George Magalhães deverá ser afastado nos próximos dias do comando do programa da Mix FM, de propriedade de Walter Franco. A não ser que Augusto Franco Neto deixe de ser o candidato a vice-governador na chapa de Eduardo Amorim.

José Franco
Condenado por improbidade administrativa na época em que foi prefeito de Nossa Senhora do Socorro, o deputado estadual José Franco desistiu de disputar a reeleição e rompeu com o seu partido, o PDT. Enquanto o partido segue alinhado à candidatura do governador Jackson Barreto, Franco fez a opção pela candidatura do senador Eduardo Amorim (PSC).

Assembleia
Vice-presidente da Assembleia Legislativa, José Franco espera assumir a presidência durante o recesso parlamentar. Ao menos esse foi o acerto para apoiar a candidatura de Amorim. A atual presidente da AL, deputada Angélica Guimarães, que já foi escolhida para vaga de conselheira do Tribunal de Contas do Estado, só pretende assumir o cargo no TCE após as eleições de outubro.

Atas
O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe, através do Ofício Circular nº 6/2014 - SJD, convocou todos os partidos políticos para uma reunião a ser realizada hoje, às 10 horas. Nessa reunião os partidos que desejam disputar as eleições vindouras deverão apresentar o livro de ata das convenções partidárias para conferência e autenticação pela Secretaria Judiciária do Tribunal. "O Ministério Público Eleitoral observará o cumprimento do prazo legal para a realização das convenções e o partido que descumprir esse prazo certamente terá o seu registro de candidatura impugnado na Justiça Eleitoral", enfatiza Marcos Vinícius Linhares, Secretário Judiciário do TRE-SE.

Prazo
A autenticação das atas é uma novidade criada pelo TRE. De acordo com a Lei das Eleições (Lei n° 9.504/97), 5 de julho é a data-limite para os partidos e coligações registrarem junto ao TSE candidatos a presidente e vice-presidente da República. O prazo é valido também para o registro, junto aos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), de candidatos aos cargos de governador e vice-governador, senador e respectivos suplentes, deputado federal e deputado estadual ou distrital.

Candidato
Caso o partido, injustificadamente, deixe de fazer o pedido de registro dentro do prazo, o candidato poderá fazê-lo. A medida visa resguardar o futuro candidato de eventuais falhas ou arbitrariedades cometidas por partidos que não queiram indicar as pessoas legitimamente escolhidas em convenção partidária. Neste caso, o candidato deve observar o prazo de, no máximo, 48 horas a partir da publicação pela Justiça Eleitoral da lista dos candidatos apresentados pelos partidos ou coligações. "O edital marca a publicidade para o candidato verificar a ausência do nome dele na lista que foi apresentada pelo partido. Neste caso, ele pode fazer o registro de candidatura individual até 48 horas da publicação do edital", explica o coordenador.

Votações
A Assembleia Legislativa adiou para hoje a votação de projetos em tramitação, inclusive vetos ao Proredes, reajuste dos servidores e Plano de Cargos e Salários. A justificativa é que o governo encaminhou novos projetos relacionados ao funcionalismo. Esses projetos precisam ainda de apreciação nas comissões temáticas.
Pagamento
Nesta quarta-feira, 2, a Prefeitura Municipal de Aracaju paga a última parcela da dívida com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Aracaju (Sepuma). O pagamento será às 16h no auditório do Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos. O valor pago será de R$ 1.248.854,81. Mesmo não sendo uma dívida adquirida na atual gestão, a Prefeitura de Aracaju assumiu o compromisso de quitar o valor estipulado em mais de R$ 6 milhões em débitos deixado por administrações anteriores, relativo aos avanços horizontais que os servidores têm direito de receber a cada dois anos. A primeira parcela da dívida, no valor de R$ 1.692.119,95, foi paga em novembro, a segunda, no valor de R$ 3.807.687,64, foi paga em fevereiro.

Eleições
O governador do Estado Jackson Barreto recebeu em audiência durante a tarde desta terça-feira, 1º, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE/SE), desembargador Cesário Siqueira Neto, e o diretor Geral do Tribunal, Pedro Vieira. Na pauta, o Plano de Segurança do órgão a ser executado para as Eleições 2014. O presidente do TRE informou que o objetivo da audiência foi apresentar pessoalmente ao chefe do poder executivo todo o planejamento que já vem sendo desenvolvido com a Secretaria de Segurança Pública, o comando da Polícia Militar e todos os demais órgãos envolvidos no aparato de segurança.

Segurança
"Viemos comunicar das providências que estão sendo tomadas e pedir o apoio, que já vem sendo dado de forma inconteste pelas forças públicas do estado ao Tribunal Regional, no sentido de que possamos efetuar eleições tranquilas, como de resto vem sendo em todos os anos anteriores", ressaltou Cesário Siqueira Neto. Durante a reunião o governador Jackson Barreto manteve contato com o comandante Geral da PM, coronel Maurício Iunes, certificando-se dos desdobramentos do planejamento.