Restaurante Padre Pedro terá 30% dos alimentos oriundos da agricultura familiar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O restaurante Padre Pedro fornece 1.900 refeições diárias
O restaurante Padre Pedro fornece 1.900 refeições diárias

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 03/07/2014 às 00:48:00

Visando o fortalecimento da agricultura familiar em Sergipe, a Secretaria de Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social (Seides) vai incluir uma cláusula no contrato de fornecimento de alimentos para o Restaurante Popular Padre Pedro, para que 30% da compra dos produtos servidos no almoço e no jantar por parte da empresa que abastece o Padre Pedro sejam oriundos da agricultura familiar. A medida entrará em vigor em breve, e representa mais um avanço para promover o aumento da produção e da elevação da renda da família produtora rural.
"Com isso, levaremos desenvolvimento para o setor rural, estimulando e desenvolvendo as cooperativas dos pequenos agricultores e levando alimentação de qualidade à população que utiliza o restaurante Padre Pedro. Hoje, a empresa compra os produtos de grandes fornecedores. Em breve, com a cláusula contratual, ela deverá comprar, no mínimo, 30% dos alimentos oriundos do pequeno agricultor", explica a secretária de Estado da Inclusão Social Eliane Aquino.

Para o presidente da Cooperativa de Produtores da Agricultura Familiar e Solidária de Moita Bonita (Cooperafes), Joelito Costa, a novidade é um exemplo contundente do compromisso do governo em fomentar ainda mais o setor produtivo do pequeno agricultor. "Representa um estímulo muito importante. Vai assegurar um preço justo com relação à compra, sem distinção. Vai nos inserir no mercado competitivo e assegurar uma alimentação de qualidade e que atenda às necessidades nutricionais".
O bom atendimento, o cardápio, a localização e, principalmente, o preço em conta - R$ 1,00 - garantem que mais de mil pessoas se alimentem todos os dias no Restaurante Popular Padre Pedro, em Aracaju. O restaurante mantido pela Seides realiza 1.900 atendimentos diários no restaurante, sendo 1.300 no almoço e 600 no jantar. O almoço é servido das 11h às 13h e o jantar das 17h às 19h, ao preço de R$ 1 cada refeição.

É uma ação do Governo de Sergipe que visa garantir a segurança nutricional daqueles que mais precisam a um preço simbólico. As refeições oferecidas no restaurante contam com a avaliação permanente de nutricionistas, que vigiam não apenas a qualidade dos alimentos ofertados, mas o equilíbrio de todos os nutrientes necessários à boa saúde do público consumidor. O cardápio é dividido em duas semanas, com 10 combinações de alimentos que mudam quinzenalmente.