Acusado de receptação é preso e solto no dia seguinte

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/07/2014 às 00:01:00

Gabriel Damásio
gabrieldamasio@jornaldodiase.com.br

Um homem considerado pela polícia como um dos principais receptadores de produtos roubados em Sergipe ficou preso por pouco mais de 24 horas. César Valdevino dos Santos, 31 anos, o "Frajola", foi detido na madrugada de terça-feira em sua casa, no bairro Santa Maria (zona sul de Aracaju), em uma ação executada por policiais civis da 9ª Delegacia Metropolitana (Santa Maria) e do Grupo Especial de Repressão e Buscas (Gerb). Com ele, foram encontradas 11 munições de revólver calibre 38 e também alguns produtos suspeitos de serem roubados. No entanto, ao final da manhã de quarta-feira, o acusado foi solto por determinação do juiz plantonista Sérgio Fortuna de Mendonça, da 2ª Vara Criminal de Aracaju, que determinou o pagamento de uma fiança de R$ 2.500. A fiança foi paga e Valdevino já responde ao processo em liberdade.

Em seu despacho, Fortuna confirmou a legalidade da prisão em flagrante, mas baseou-se na "Lei das Cautelares", que prevê a concessão de fiança ou medidas alternativas em crimes de menor potencial ofensivo. "A fiança é instituto processual que visa assegurar o comparecimento a atos do processo, evitar a obstrução do seu andamento ou para evitar a resistência injustificada à ordem judicial. (...) Analisando os autos telados infere-se escorreito o arbitramento uma vez que não se está diante de hipótese de vedação legal para a sua concessão e já fora devidamente arbitrada pela autoridade policial", escreveu o magistrado.
"Frajola" já era investigado pela polícia desde o ano passado, quando a Divisão de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV) apurava um surto de roubos e furtos de motonetas e ciclomotores (conhecidas como 'shinerays'). Em 6 de julho de 2013, a mesma casa também foi invadida pela polícia, em uma ação que envolveu até um helicóptero do Grupamento Tático Aéreo (GTA). César era apontado como chefe de uma quadrilha que furtava os veículos e os revendia com chassis e documentos falsos. Ele não foi encontrado na ocasião, mas sua irmã, Kelly dos Santos, acabou presa com 10 ciclomotores, uma pistola calibre 765, um revólver calibre 38, munições calibre 40, um veículo Gol, cápsulas vazias de cocaína, celulares, computadores, carimbos de empresas de revenda de motonetas, impressoras e R$ 850,00 em dinheiro.

De acordo com o delegado Marcelo Hercos Lyrio, da 9ª DM, que chefiava a DRFV no ano passado, as investigações sobre "Frajola" continuaram por conta de uma nova série de assaltos ocorridos na região, cujos produtos seriam comprados ou mesmo encomendados pelo acusado a outros assaltantes. Um deles foi identificado como José Cícero Feitosa da Silva, o "Cambaio", que está preso desde abril deste ano e responde a pelo menos quatro processos por roubos e furtos. A apuração recente resultou na expedição do mandado de prisão que foi cumprido na madrugada de terça. Ainda de acordo com Hercos, "Frajola" também é suspeito de ter tentado matar um policial civil que investigava os assaltos no Santa Maria. A polícia assegura que as investigações sobre "Frajola" continuarão.