O Senado e a Saúde

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/07/2014 às 00:41:00

gilvanmanoel@uol.com.br -  gilvanmanoel@jornaldodiase.com.br

Na entrevista que concedeu ao JORNAL DO DIA no último domingo, o deputado federal Rogério Carvalho, presidente do PT sergipano, deixou clara a linha que pretende adotar na sua campanha para derrotar a senadora Maria do Carmo Alves (DEM), considerada favorita.
"Estamos prontos para comparar o nosso trabalho com o da senadora Maria do Carmo, estamos dispostos a mostrar para as pessoas os dois mandados e qual trouxe mais benefícios para o povo de Sergipe. Podemos com tranquilidade comparar os 16 anos de mandato de Maria do Carmo Alves com os 3 anos e meio do meu mandato como deputado federal. Basta que os eleitores interessados acessem a página do Congresso Nacional e verifiquem minha atuação", destacou Rogério, que é candidato pela coligação que apóia a candidatura a reeleição do governador Jackson Barreto (PMDB). Maria é candidata pela chapa do senador Eduardo Amorim (PSC).

Além de comparar as atividades dos dois no parlamento, Rogério Carvalho também pretende questionar a gestão do prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), marido de Maria, e coordenador da sua campanha. Até agora é João, e não a senadora, quem vem dando declarações contra Rogério e outros adversários. O deputado federal diz que não tem qualquer preocupação a esse respeito:
"Na verdade o prefeito teria que governar a cidade em vez de pensar em eleger senador. Devia cuidar da saúde de Aracaju, manter os prontos socorros abertos porque estão quase fechados, limpar a cidade, consertar os buracos no asfalto. A população está insatisfeita com a cidade, com a forma que ela está sendo tratada. É importante lembrar que ele é prefeito e não candidato a senador", disse o deputado.
Nas gestões de Marcelo Déda como prefeito de Aracaju e governador do Estado, Rogério Carvalho teve ações destacadas na condição de secretário de Saúde da capital e depois do Estado. Em Aracaju, foi o responsável pela implantação dos hospitais da Zona Norte (Nestor Piva) e da Zona Sul (Fernando Franco), depois transformados em UPAs. Foi como secretário de Estado da Saúde que ele enfrentou os maiores embates com o ex-governador João Alves Filho, hoje prefeito da capital.

João Alves reclama muito sobre as mudanças no antigo Hospital Governador João Alves Filho, hoje Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) e na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes. Rogério é enfático ao responder o prefeito. "No Huse construímos um novo hospital, ele cresceu, dobrou de tamanho, incorporou tecnologia, incorporou o conceito de estratificação de risco, que é o conceito reconhecido e exigido pelo Ministério da Saúde, inclusive para a liberação de mais recursos, abrimos 64 modernos leitos de UTI que estão salvando vidas. Nada disso tinha no governo dele", disse.

Já na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, Rogério explica que as mudanças feitas foram para colocá-la em funcionamento "porque recebemos inacabada com sérios problemas estruturais que impediam que atendessem as mulheres que precisavam. Aliás, esse é um dos maiores problemas que enfrentamos quando assumimos o governo e ainda assim a colocamos para funcionar e hoje tem atendido as mulheres em gravidez de risco com humanização. É uma história da qual o prefeito deveria se envergonhar".
Como secretário da Saúde no primeiro Governo Déda, Rogério projetou e o governo já inaugurou 86 Clínicas de Saúde da Família que são modelo de unidade de saúde, elogiadas por profissionais do setor e os usuários.

Segundo Rogério Carvalho, quando João Alves era governador de Sergipe "ele fechou 10 hospitais e agora, enquanto prefeito de Aracaju, vai fechar as UPAs deixando a população sem atendimento. Ou seja: ele nunca mostrou compromisso com a saúde do povo de Sergipe e agora mostra o mesmo em relação a Aracaju".
A campanha para o Senado caminha para desembocar também em temas que deveriam ser mais discutidos pelos candidatos a governador, em função da condição de ex-secretário da Saúde de Rogério Carvalho, e da tentativa do prefeito João Alves em proteger a senadora Maria do Carmo de ataques dos adversários.

Sem afastamento
Dos 17 pedidos de impugnação de pessoas que pediram registro de candidatos no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para disputar as eleições, seis cometeram a mesma irregularidade: a ausência de desincompatibilização no prazo legal de cargo/função de direção em empresa concessionária de serviço público. Dois deles são sócios de empresas de comunicação: Augusto Franco Neto (PSDB), diretor da TV Atalaia, candidato a vice-governador na chapa de Eduardo Amorim (PSC), e José Edivan Amorim, sócio e diretor da Rede Ilha, e candidato a deputado estadual.

Suplentes
Os dois candidatos a suplente do candidato Rogério Carvalho (PT) podem ser impugnados: Gilberto dos Santos é diretor do Hospital de Cirurgia, mantido com recursos públicos, e Ivan Leite é sócio e diretor da Sulgipe, concessionária de energia da região Centro-Sul do Estado.

Transportes
O Ministério Público também quer a impugnação dos empresários Adierson Monteiro e do seu filho Antonio Monteiro Neto, candidatos a deputado federal, e diretores de empresas de ônibus Progresso e Tropical, que exploram o sistema de transporte coletivo da capital.

Condenações
Outros que tiveram pedido de impugnação protocolado pelo Ministério Público Eleitoral foram os deputados federais André Moura (PSC), condenado, em duas ocasiões e por órgão colegiado, à suspensão dos direitos políticos em razão da prática de atos de improbidade administrativa, e Mendonça Prado (DEM) que possui contas desaprovadas em processo do TCE.

Renúncia
O deputado estadual Gilmar Carvalho (SDD) foi impugnado porque renunciou a seu mandato após o oferecimento de representação capaz de autorizar a abertura de processo. Carlos Augusto Ferreira, candidato ao cargo de deputado federal, pela coligação "Agora é a vez do Povo", teve representação julgada procedente em processo que tratou da apuração de abuso de poder e de captação ilícita de sufrágio; e, possui contas desaprovadas pelo TCE, mesma situação de César Fonseca Mandarino, ex-prefeito de Itaporanga e candidato ao cargo de deputado estadual, pela coligação de Amorim.

Impugnações
O MPE ainda quer impedir as candidaturas de Bosco Costa, Luciano Bispo, José Job de Carvalho Filho e Josilda Alice da Graça Monteiro por possuírem contas rejeitadas pelo TCE. Givanildo Batista da Silva, candidato ao cargo de deputado estadual, por uma condenação em ação civil pública por pratica de ato de improbidade administrativa; e Reinato Rodrigues dos Santos, candidato a deputado estadual, condenado criminalmente, por órgão colegiado, pela prática ilícito penal contra os patrimônios público e privado.  

Outros nomes
Todas as coligações envolvidas que vão participar das eleições de também podem pedir a impugnação de candidatos em função de irregularidades. Todos os registros serão julgados individualmente por juízes eleitorais, cabendo recurso tanto ao pleno do TRE quanto ao TSE. Todos os recursos têm que estar julgados até 05 de agosto.

Dificuldade
Caso confirmada a impugnação de Augusto Franco Neto, o senador Eduardo Amorim deverá ter dificuldades em encontrar um novo candidato a vice-governador dentro da família Franco. Além do filho de Walter Franco, Ricardo Franco, filho do ex-governador Albano Franco já é candidato a primeiro suplente de senador na chapa de Maria do Carmo Alves (DEM). A candidatura de Augusto Franco só foi confirmada no final da noite do dia 30 de junho, último dia previsto para a realização das convenções partidárias.

Caminhada
O governador e candidato à reeleição Jackson Barreto (PMDB) faz a primeira caminhada da campanha nesta terça-feira, no Centro de Aracaju, com saída marcada para as 16 horas do Cacique Chá. A coligação Agora é o Povo (PMDB, PSB, PT, PDT, PCdoB, PSD, PRB, PRP, PRTB, PROS e PSDC) trabalha com a expectativa de grande número de participantes. Às 18 horas, Jackson segue para a Novena de N. Sra. do
Carmo (Noite dos Poderes), no Monte Carmelo, Carmópolis, onde logo em seguida acontece um Show com o Padre Fábio de Melo.

Redes sociais
Jackson Barreto apresenta em sua página no Facebook, uma mensagem muito bem editada fazendo a apresentação da sua candidatura. Jackson diz que não é de filha rica e nem acumulou patrimônio e explica as razões de sua candidatura. "Há oito anos o governador Marcelo Déda começou a realizar um projeto que mudou a vida da nossa gente. Aumentou a oferta de empregos, construiu pontes, abriu estradas e levou o progresso para a cidade e para o campo. Déda confiou a mim a responsabilidade de continuar o trabalho que ele começou. Por isso sou candidato", ressalta

Capazes
O governador completa ressaltando que "em pouco mais de um ano já mostramos o que somos capazes de fazer. Trabalhamos pela geração de empregos, por mais saúde e educação, sobretudo com o intuito de cuidar das pessoas. Essa jornada não pode parar. Este ano a campanha começa aqui nas redes sociais. Venha comigo nesta caminhada".

Repasses
Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), indicou que o repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para o estado, no primeiro semestre do ano, apresentou crescimento real (com desconto da inflação) de 3,4% ante o mesmo período de 2013. Em valores, a transferência chegou a mais de R$ 1,2 bilhão no primeiro semestre de 2014.