Saúde de Aracaju enaltece apoio popular no combate à dengue

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/07/2014 às 00:16:00

A Saúde de Aracaju vem atuando com trabalhos específicos em cada bairro da Capital sergipana, direcionado um monitoramento para que o índice de casos de dengue decaia. No primeiro semestre de 2014, através das avaliações oficiais do Governo federal, pelo Programa Nacional de Controle da Dengue ficou constatado que nenhum foco do mosquito foi encontrado em terrenos baldios, sendo 100% dos focos encontrados dentro dos domicílios aracajuanos.

A constatação levou a equipe do Programa Municipal de Controle da Dengue, mesmo com as condições adversas de 2014 (chuvas e greve dos agentes de endemias), a pedir à população que somasse força para combater ainda mais possíveis focos da doença. "Considerando que estamos num período do ano em que os casos de dengue poderiam aparecer de forma epidêmica, afirmamos que até o momento estamos registrando baixa incidência da doença. Por conta do trabalho direcionado e intenso feito pela Saúde de Aracaju e a parceria imprescindível da população e da sociedade civil organizada (igrejas), conseguimos evitar mais de 8.500 casos até a data de hoje (14 de julho), quando o esperado para este período seria algo em torno de 9.600", disse a diretora em Vigilância em Saúde da Saúde de Aracaju, Tereza Cristina Maynard.
Desde o mês de maio vem acontecendo uma queda considerável de casos da doença. Em maior foram catalogados 306 casos suspeitos de dengue, em junho foram 226 pessoas com suspeitas da doença e até o dia de hoje, 14 de julho, apenas 29 suspeitos foram registrados pela equipe responsável pelo controle da doença.
"Esta queda só foi possível porque a população se empenhou em contribuir com o combate à dengue. Nossas equipes trabalham com educação direcionando sua atuação para cada bairro especifico de Aracaju. A Saúde Municipal não espera a confirmação dos casos, já atuando no bloqueio através do fumacê costal, onde o agente vai até a casa da pessoa aplicar o veneno para matar mosquito. Se uma pessoa está com suspeita da doença, os agentes aplicam o fumacê num raio de 300 metros do ponto suspeito. Além desta atividade, nós continuamos com coletas de pneus em todos os bairros de Aracaju, mutirões aos sábados e ações em parceria com a Brigada Estadual da Dengue, onde somamos força para controlar a situação", disse Tereza Cristina Maynard.

Fumacê - O fumacê só é utilizado em casos de emergências e que estejam dentro do perfil epidemiológico e condição climática para a aplicação do produto. ?A Saúde de Aracaju frisa que o fumacê costal continua sendo aplicado nas áreas necessárias, porém o carro fumacê é padronizado para situações emergenciais e utilizado quando a incidência da dengue é alta, sendo acima de 301 casos por 100 mil habitantes. Considerando estes dados, Aracaju apresenta apenas 81 casos por 100 mil habitantes.

Segundo explicou a assessora de Comunicação da Emsurb, Gabriela Barbosa, a população pode reclamar de terrenos baldios, denunciando inclusive proprietários que deixaram de limpar suas propriedades. "É preciso avaliar os riscos que o terreno proporciona à população. Nem todos esses locais estão cadastrados na Prefeitura de Aracaju, o que dificulta medidas corretivas, mas quando identificamos o dono, o mesmo é notificado e dependendo do caso podemos aplicar multa. Quando realizamos a limpeza da área, enviamos ao mesmo o custo do serviço feito", disse Gabriela. O contato para denunciar espaços abandonados, com acúmulo de água e mato é 0800-2841300.