Reunião vai discutir segurança de taxistas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/07/2014 às 00:50:00

Cândida Oliveira
katiaazevedo@jornaldodiase.com.br

A reunião que estava marcada para acontecer ontem entre o Sindicato dos Trabalhadores em Táxi do Estado de Sergipe (Sintáxi) e a cúpula da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE) não ocorreu.
Segundo o vice-presidente do Sintáxi, Gerson Ferreira, o encontro foi adiado para a próxima quarta-feira, dia 23, às 9h e contará com um representante da Polícia Rodoviária Federal e o secretário de Segurança Pública, João Eloy. A pauta de discussão irá girar em torno da morte do taxista José de Jesus Santos, de 50 anos, que foi morto a tiros na BR-101, no conjunto Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro, no último dia 3. "Essa morte precisa ser esclarecida, pois muitos colegas tem perdido a vida no trabalho", disse Gerson. Apenas em Aracaju há 2.079 mil taxistas, em todo o Estado o número chega a 10 mil.

Gerson relatou que nos últimos dois anos seis taxistas morreram enquanto trabalhavam. Os números assustadores não param por aí, por dia, Gerson deduz que acontecem oito assaltos a taxistas em todo Estado. Os números não são oficiais porque a maioria dos trabalhadores em táxi não se dirige às delegacias para fazer as ocorrências. "É preciso que os colegas façam o Boletim de Ocorrência, pois dessa forma os policiais podem intensificar as rondas nos locais com maior incidência", solicitou o sindicalista.
Ainda de acordo com ele, após a morte do último dia 3, a Polícia Militar intensificou a abordagem aos taxistas. "Que meus colegas não vejam a blitz da polícia como perda de tempo, porque uma vida pode estar sendo salva", observou Gerson.

Morte - De acordo com informações, o taxista que trabalhava na modalidade de lotação transportava quatro pessoas em direção ao conjunto Jardim, quando dois desceram e ficaram outros dois. Os dois elementos anunciaram o assalto e o condutor do veículo supostamente tentou reagir. Ao enfrentar os dois ladrões, um dos elementos o baleou com disparos de uma arma de fogo. José morreu no local. Policiais rodoviários federais atenderam a ocorrência, mas pouco puderam fazer. Após o latrocínio, os dois elementos conseguiram fugir pelas ruas do Parque dos Faróis. O crime será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil.