Bloco na rua

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 18/07/2014 às 01:10:00

rittaoliveira@jornaldodiase.com.br  -  rittaoliveira@uol.com.br

A campanha a reeleição do governador Jackson Barreto (PMDB) chega às ruas nesta sexta-feira, 18, com a inauguração do Comitê Central da coligação "Agora é o Povo", na avenida Barão de Maruim, próximo à avenida Gonçalo Prado Rolemberg. Marcado para as 19 horas, o evento reunirá lideranças e militantes dos 11 partidos que compõem a aliança liderada por Jackson e Belivaldo Chagas (PSB).

Jackson, que na semana passada reuniu mais mil prefeitos e lideranças políticas num hotel da orla numa reunião preparatória para a inauguração do comitê, é o primeiro entre os candidatos favoritos a colocar sua campanha nas ruas. Até agora, a campanha havia sido lançada apenas nas redes sociais.
No dia 30 de junho, quando foram realizadas as convenções partidárias, o senador Eduardo Amorim, candidato do PSC e outros 15 partidos, fez uma festa na casa de espetáculos Emes, mas foi uma tarde complicada. A convenção acabou sem que Amorim anunciasse o seu candidato a vice-governador, o que só aconteceu no final da noite, quando foi confirmado o nome do empresário Augusto Franco Neto (PSDB).
Na última segunda-feira, os partidos que integram a frente de esquerda que tem a professora Sônia Meire como candidata a governadora, realizaram manifestação na área central de Aracaju. Os outros candidatos - Betinho (PTN) e Airton da CGTB (PPL) - ainda não colocaram suas campanhas nas ruas.

As convenções partidárias e o início da campanha coincidiram com a realização da Copa do Mundo no Brasil, o que acabou retardando o início das campanhas de rua. Até 18 de agosto, quando começa a propaganda no horário eleitoral gratuito, os partidos deverão realizar pequenos atos e cuidar mais da organização da campanha propriamente dita.

Há pouco mais de um ano como chefe do Executivo estadual, Jackson pleiteia a reeleição com base nos avanços econômicos e sociais de Sergipe nos últimos sete anos, tempo do programa de governo liderado por Marcelo Déda.
"Quero dar continuidade ao trabalho que está sendo bem feito, com Sergipe batendo recordes na agricultura, na geração de empregos, se destacando em diversas áreas, melhorando a qualidade de vida das pessoas, que é o que mais importa. Temos orgulho de Marcelo Déda por tudo o que ele fez por esse Estado. Nós não deixamos de honrar o seu nome e sua história", declarou Jackson durante evento com correligionários no último dia 11.
"Não imaginava repetir com tanta força aquele movimento popular extraordinário que foi a campanha de 94. Foi este mesmo palanque (apontando para a mesa) que começou a mudar a história deste Estado", disse Jackson, recordando a campanha eleitoral de 20 anos atrás, quando venceu o primeiro turno e acabou derrotado no segundo turno pelo ex-governador Albano Franco (PSDB). O atual grupamento político, que inclui o PMDB, PSB, PT e PCdoB, dentre outros, está unido desde aquela eleição.
Ontem carros de som desfilavam pela cidade convidando a população a participar da festa de lançamento do comitê central da campanha de Jackson.
Com a inauguração do comitê Jackson coloca o bloco na rua ...

Ponto de vista
O governador Jackson Barreto (PMDB) acha que a campanha está começando com um entusiasmo contagiante, fruto do trabalho desenvolvido por ele no comando do Estado nos últimos nove meses. "As pessoas, principalmente os mais pobres, sentiram a presença do Estado, que passou a dar respostas às demandas da população", entende o governador, que admite uma expectativa muito positiva neste início de campanha.

Na Justiça 1
O deputado estadual Zé Franco (PDT) afirmou ontem, durante coletiva à imprensa, que está pedindo junto a Justiça Eleitoral a anulação da Convenção Estadual do seu partido que homologou no dia 30 de junho os nomes dos candidatos nas eleições deste ano, coligação e apoio a reeleição do governador Jackson Barreto (PMDB). Isso porque o seu nome não foi homologado como candidato à reeleição, mesmo tendo o seu nome na lista de inelegível no pleito deste ano pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Na Justiça 2
Um outro motivo foi o fato do partido ter passado o número que concorreu a Assembleia Legislativa em 2010 para a mulher do presidente estadual do PDT e prefeito de Socorro Fábio Henrique, Silvia Fontes, que disputará mandato de deputado estadual.

Justificativa
Revelou o deputado que está recorrendo da decisão do TCU e o que deseja é ter o direito de concorrer a um mandato. "Ao recorrer, pelo menos terei o direito de ser julgado pelo povo", afirmou Zé Franco, enfatizando que não existe condenação contra ele, o que não o impede de ser candidato.

Correndo atrás
Zé Franco, que está rompido politicamente com Fábio Henrique, não assinou a ata da convenção estadual do PDT e apoia a candidatura do senador Eduardo Amorim (PSC) ao governo. Admitiu que não fez isso porque "tomaram" o número dele e que fará de tudo para ter direito a ser candidato e com o mesmo número que concorreu em 2010.
Sonhador
Como vice-presidente da Assembleia Legislativa, Zé Franco não quis aprofundar o fato de ainda não ter assumido a presidência da Casa no lugar de Angélica Guimarães (PSC), que foi eleita há mais de três meses conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e ainda não deixou o poder. Disse apenas que está aguardando assumir, já que foi eleito para o cargo, que não vai brigar e que é um sonhador, pois sonha 100% em assumir a Assembleia antes do mês de novembro, mês que a presidente Angélica pretende deixar a Casa.

Opção B
Ainda na coletiva, Zé Franco disse que existem 99,99% de probabilidade de apoiar a candidatura do padre Inaldo (PCdoB) a deputado estadual. Ao ficar inelegível e o PDT não ter homologado sua candidatura a Assembleia, o deputado chegou a lançar o nome do vice-prefeito de Socorro, Job Carvalho, como seu candidato a Assembleia Legislativa. Com a pretensão de Job em não disputar a eleição, o deputado decidiu apoiar o candidato comunista, que foi adversário do prefeito Fábio Henrique nas eleições de 2012 com uma boa votação.

 Apoio
A entrevista que Franco concedeu ontem à imprensa foi bem prestigiada pelos aliados. Entre os presentes: os senadores Eduardo Amorim (PSC) e Maria do Carmo (DEM), o deputado federal André Moura (PSC), o prefeito João Alves (DEM), o ex-governador Albano Franco (PSDB) e o candidato a deputado estadual Edvan Amorim (PTB). Além dos empresários Augusto Franco Neto (PSDB) e Ricardo Franco (PTB), e os prefeitos do PDT, Fernando Franco (Muribeca), Fernando Lima (Nossa Senhora das Dores) e Zé de Francisquinho (Umbaúba).

Réplica
Do candidato a vice-governador de Eduardo Amorim, o empresário Augusto Franco Neto, em resposta ontem a uma declaração atribuída ao senador Valadares (PSB) de que a coligação "Agora Somos Nós" é formada por candidatos milionários: "Não entendi essa declaração. Ele devia dizer que me procurou várias vezes pedindo para que fosse seu candidato a vice quando tentou ser candidato a governador".
Tréplica
Do senador Valadares, em resposta a Augusto Franco Neto, ontem mesmo no twitter: "Não citei nenhum milionário da aliança do senador Eduardo Amorim. Para minha surpresa (e alegria) o amigo Augusto Franco Neto assumiu que é um deles".

CPI 1
A Comissão Parlamentar de Inquérito dos Serviços, criada pela Câmara Municipal de Vereadores de Crisitnápolis para investigar a contratação prestação de serviços de terceiros nos anos de 2010 a 2014, pela Prefeitura Municipal, vem dando o que falar pela constatação de irregularidades.

CPI 2
Segundo o presidente da CPI, o vereador Landinho Ribeiro (PP), ela tem chance de ser um sucesso. Revela que dos 21 prestadores de serviços já ouvidos pela comissão 16 declararam não ter executado o serviço descrito no empenho em seu nome e recebido o dinheiro; quatro disseram ter realizado o serviço e se reservaram ao direito de ficar calado; e um foi detido para abertura de inquérito policial após ter assegurado a execução do serviço de solda, quando todos sabiam que não tinha aptidão para o trabalho.

CPI 3
Informa Landinho que foi dado voz de prisão a um dos prestadores de serviço por ter "infringido o art. 4 da lei 1579, inciso II". Disse que depois de ter prestado depoimento na Delegacia de Polícia, com instauração de inquérito, ele foi solto e terá que fazer teste de aptidão profissional para constatação ou não da realização do serviço de solda. Revela que inda serão ouvidos 58 prestadores de serviço na CPI.

Veja essa...
Aliados do deputado estadual Zé Franco, em Socorro, se reuniram anteontem e decidiram que vão trabalhar para inviabilizar a candidatura da mulher do prefeito Fábio Henrique, a Sílvia Fontes. A estratégia, segundo uma fonte, é tentar a desistência dos candidatos competitivos na chapinha que integra a coligação de Jackson Barreto, para que fique sem legenda para ser eleita deputada estadual.

... e essa ...
Ainda segundo a fonte, o grupo quer aproveitar a desistência da candidatura a deputado estadual do filho do ex-prefeito de São Cristóvão, Armando Batalha (PRP), o Armando Batalha Júnior. Vai tentar fazer com que o Padre Inaldo recue da candidatura, assim como o Jairo de Glória e um outro candidato de Tobias Barreto, que na eleição passada obteve 10 mil votos para a Assembleia Legislativa.

Curtas
O deputado estadual Zé Franco foi motivo de chacota ontem nas redes sociais por declarar apoio ao padre Inaldo (PCdoB). Diziam que era um burguês que estava votando em comunista e que os comunistas Josef Stalin e Carlos Prestes deviam estar tremendo na cova pelo apoio de Franco ao candidato comunista.

O ex-prefeito Armando Batalha disse a aliados o real motivo da desistência da candidatura do seu filho a deputado estadual: a retirada do apoio de três vereadores da bancada do prefeito Fábio Henrique a Armando Batalha Filho.

 Do ex-deputado estadual Jorge Araújo (PSD) ao ser indagado porque desistiu de disputar um novo mandato para a Assembleia Legislativa: "Minha eleição morreu com Marcelo Déda".

 Disse ainda Jorge: "Sou uma das viúvas de Déda". O ex-deputado criou, junto com o então governador Marcelo Déda, o PSD em Sergipe.

Aliados do governador Jackson Barreto estão reclamando da desorganização da campanha eleitoral da coligação "Agora é o Povo".

A Funcaju, órgão da PMA na Rua Estância, continua colocando cones na frente de sua sede reservando vagas de estacionamento para funcionários. E ainda com um vigilante para impedir que outras pessoas tentem usar a área, que é pública.

A coluna retorna hoje após 16 dias de férias.