FALTA D'ÁGUA

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/08/2014 às 00:50:00

Viver em um local onde a água fornecida pelo sistema de abastecimento não chega para surreal. Mas existe. E não muito longe. É no município de Carira, no Sertão do Estado, que diversas comunidades de povoados precisam enfrentar essa triste realidade diariamente. De acordo com informações do deputado João Daniel, que está tentando resolver o problema, a água consumida pelas famílias é proveniente das barragens.
O pior é que já foi comprovado que ela está contaminada por agrotóxicos usados na região, o que agrava ainda mais a situação. O parlamentar, inclusive, falou sobre o assunto em pronunciamento na Assembleia Legislativa. "É uma situação grave e precisamos que os governos federal, estadual e o municipal também se empenhem na busca de solução", disse.

João Daniel informou que apresentou a indicação nº 94/2014 ao Governo do Estado, solicitando que a Sedurb e a Deso viabilizem um sistema de abastecimento de água para atender esses povoados, uma obra que vai beneficiar mais de 400 famílias da região. "Essa iniciativa vai garantir a melhoria da qualidade de vida dessas pessoas, que na grande maioria vivem da agricultura", destacou.
 Ele acrescentou ainda que tem certeza que os governos podem dedicar empenho na busca de solução para uma região que tem uma pequena agricultura forte, produtora, trabalhadora. "Carira merece, com certeza, essa condição que é a mais digna, que é o direito ao abastecimento de água para o consumo daquelas famílias", ressaltou João Daniel.

SEM LIXO
O prefeito de Pirambu, Élio Martins (PSB), se orgulha de ter abolido o lixo do município, um trabalho realizado desde o início da gestão. Segundo ele, todo o lixo que recolhido na cidade é transportado para o aterro sanitário de Rosário do Catete, assim como todo o lixo hospitalar que é recolhido diariamente. O prefeito diz ter conhecimento que existe uma emenda ao Projeto de Lei onde o deputado federal André Moura (PSC) é relator, prorrogando por mais oito anos o fechamento dos lixões a céu aberto, para que as prefeituras possam se adequar a essa nova realidade. "É louvável essa iniciativa, mas o nosso município já atende as determinações que são exigidas", ressaltou Elinho.

SEM AULA I
Alunos da rede municipal de Lagarto estão há mais de duas semanas sem aulas devido a greve dos professores municipais. A greve foi iniciada no dia 21 de julho e segue com a paralisação por tempo indeterminado. Cerca de 90% dos professores municipais lutam com o objetivo do reajuste salarial de 8,32%, referente ao ano de 2014, o qual ainda não foi acordado com a Prefeitura de Lagarto. Os pais e alunos se preocupam com as aulas perdidas durante esse período e temem em perder mais um ano letivo.

SEM AULA II
Os professores da rede municipal realizaram ontem, 06, um protesto na comunidade Colônia Treze. A caminhada realizada pela categoria, teve como porto de partida na Escola Municipal Monsenhor Daltro, onde seguiram com faixas criticando o prefeito de Lagarto Lila Fraga (PSDB) pelas principais ruas da comunidade. Diversas faixas foram estendidas na Praça Santa Luzia.