Corpo de Pedrinho Valadares será enterrado em Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/08/2014 às 00:47:00

Milton Alves Júnior
miltonalvesjunior@jornaldodiase.com.br

Peritos do Instituto Médico Legal (IML), de São Paulo, confirmaram na tarde de ontem que não possuem data exata de quando os restos mortais dos cinco passageiros e dois tripulantes, vítimas de um acidente aéreo em Santos, devem ser encaminhados para os estados de origem. Conforme andamento dos estudos de DNA, a perspectiva é que até o início da tarde deste sábado, 16, os corpos sejam devidamente identificados e encaminhados para o Rio de Janeiro, Pernambuco e Sergipe.

O corpo do ex-deputado federal por três mandatos, Pedro Almeida Valadares Neto, popularmente conhecido como Pedrinho Valadares, será velado e enterrado em Aracaju. O protocolo fúnebre poderá ocorrer na manhã do próximo domingo, caso os corpos sejam liberados para o traslado.

Durante todo o dia de ontem autoridades públicas e empresários voltaram a declarar condolências às famílias das vitimas da tragédia que matou, também, o presidenciável Eduardo Campos, líder político do Partido Socialista Brasileiro (PSB). Pedrinho, assessor particular de Campos há mais de dois anos, em junho tinha assumido a coordenação da campanha do socialista na região Nordeste. No último final de semana o sergipano de 48 anos esteve em Aracaju para comemorar o Dia dos Pais em família. Uma equipe de 30 profissionais peritos trabalha na identificação das vítimas. Quatro peritos da Polícia Federal estão apoiando os trabalhos. Os exames de DNA estão sob a responsabilidade de dez peritos do Instituto de Criminalística, especialistas em genética forense.

Bastante abalado com a notícia, o senador Antônio Carlos Valadares, líder do PSB em Sergipe e tio de Pedrinho, relatou os últimos passos políticos adotados pelo sobrinho. "Ele esteve presente nos momentos decisivos em que o ex-governador Eduardo Campos decidiu renunciar o mandato estadual para sair candidato à presidência ao lado de Marina Silva. O destino infelizmente levou os dois juntos nesse avião. Uma tragédia para o povo brasileiro. O sentimento é de tristeza. Estou plenamente de chocado com a morte de Pedrinho nessa situação tão trágica. E com a morte de nosso líder e companheiro direto Eduardo Campos", disse.

O presidente estadual do Partido Verde (PV), Reynaldo Nunes, lembrou da importância de Campos para o desenvolvimento político do Brasil, e de Pedrinho para o fortalecimento do PV em Sergipe. "Foi com muita tristeza que recebi a informação da morte do candidato a presidente da República, Eduardo Campos, e do ex-deputado federal, Pedrinho Valadares. Pedrinho era da Executiva Estadual do PV e meu amigo pessoal. Meus sentimentos à esposa Simone Valadares e filhos. Hoje é um dia triste pela perda de dois grandes homens", lamentou. Permanecem na capital paulistana o irmão de Pedro Valadares, e o respectivo cunhado que tentam contribuir na identificação dos corpos.

O deputado federal Mendonça Prado utilizou as redes sociais para lamentar o sinistro. Por mais de quatro anos, ambos compuseram a bancada sergipana na Câmara dos Deputados, em Brasília. "Lamento profundamente o passamento de Eduardo Campos e Pedrinho Valadares. Dois jovens que atuaram com dignidade na política", publicou. A lista oficial apresentada pela Aeronáutica Brasileira apresenta também os seguintes nomes: Alexandre da Silva - fotógrafo; Carlos Augusto Leal Filho - conhecido como Percol - assessor; os pilotos Geraldo da Cunha e Marcos Martins; e o cinegrafista Marcelo Lira. Com a tragédia Pedrinho Valadares deixa três filhos e a esposa Simone Valadares, promotora de Justiça do Maranhão.