Vigilantes paralisam atividades no Huse

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/08/2014 às 00:24:00

Kátia Azevedo
katiaazevedo@jornaldodiase.com.br

Uma dívida envolvendo a Fundação Hospital de Saúde (FHS) e uma empresa prestadora de serviço terminou em paralisação de atividades no dia de ontem em unidades de saúde geridas pelo órgão.
Desta vez a categoria profissional atingida pelo problema é a dos vigilantes, que suspendeu as atividades por orientação da empresa, a Sacel, que alega que não vem recebendo repasses devidos pela fundação.
Segundo a empresa, a dívida chega a cerca de R$ 5 milhões e já dura cerca de sete meses. "Somente seis das 112 faturas do contrato foram pagas, o que torna inviável a continuidade da execução do serviço", informa.
Ele relata que somente com o repasse a empresa terá condições de pagar aos 190 vigilantes que atuam nas unidades, que ainda incluem vários locais de atendimento na área de saúde que pertencem ao Governo do Estado.
O diretor de comunicação do Sindicato dos Vigilantes de Sergipe (Sindivigilante/SE), Genilson Pereita, informou que a situação preocupa os trabalhadores. "Se os repasses continuarem sendo feitos de forma inconstante, tememos que afete o salário dos vigilantes, provocando atrasos", destaca.
Segundo informações de Genilson, a paralisação afetou todas as unidades de saúde geridas pelo estado. Após a paralisação, a FHS e a Sacel se reuniram e chegaram a um acordo.