Começa curso de Cinematografia Eletrônica Digital

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/07/2012 às 14:53:00

Foi iniciado nesta segunda-feira, 9, o curso de Cinematografia Eletrônica Digital Avançada no Núcleo de Produção Digital (NPD) Orlando Vieira. Sua proposta é apresentar, ampliar e aprofundar conhecimentos artísticos relacionados à captação, em suporte eletrônico digital, de imagens em movimento.

Ministrado por Carlos Ebert, o curso, que conta com um total de 25 vagas, acontece na sede do NPD, localizada na rua Lagarto. Na aula inaugural os alunos puderam ter o primeiro contato com o ministrante e conhecer a metodologia que será abordada ao longo dos próximos dias.

Para Luiz Eduardo Carvalho, participar do curso é uma oportunidade ímpar. "Desejo me aprofundar na área de audiovisual e espero poder levar conhecimento para a empresa na qual estou trabalhando. Fazer o curso é a união de um interesse pessoal e profissional", disse.

Atuação - O ministrante Carlos Ebert explica um pouco a abordagem que guiará as aulas. "Trata-se de um curso avançado, com muita informação. As aulas serão teóricas no começo, mas depois a prática será fundamental, pois a cinematografia trabalha com técnica e para isso é preciso que a turma ponha a mão na massa".

Ainda segundo Ebert, as aulas darão margem a muitas perguntas. "A explanação é uma parte fundamental do processo, o que gera dúvidas, questionamentos e ajuda o curso a fluir. Percebi que na turma há muita gente que já trabalha na área, então quanto mais perguntas surgirem, melhor. Temos uma boa oportunidade de realizar um trabalho significativo e produtivo.

Parceria - O curso é uma realização do Centro Audiovisual Norte-Nordeste (Canne), em parceria com a Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Funcaju), Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe, (Secult), Sebrae  e Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas, (ABD/SE).

A coordenadora do NPD, Graziele Ferreira, felicita a união. "É a 7ª parceria com o Canne, fato que demonstra uma trajetória considerável de relações institucionais e que vem gerando excelentes frutos para o audiovisual sergipano. Os cursos do Canne trazem sempre profissionais renomados, a exemplo de Carlos Ebert que faz parte da história da cinematografia brasileira", revela.