FRANCO NETO REJEITA A “CRISTIANIZAÇÃO” DE AÉCIO NEVES

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/09/2014 às 00:27:00

A candidatura do jovem e até agora bem sucedido político mineiro Aécio Neves parece que virou pó.
Depois que o coordenador da sua campanha o senador potiguar José Agripino anunciou que todos iriam apoiar Marina no segundo turno restou aquela sensação amarga e apavorante de barco afundando e todos fugindo paraa escapar ao naufrágio.
Repete-se aquele episódio ocorrido em 1950 que deu origem à palavra ¨cristianização¨ que nada tem a ver, evidentemente , com o Partido Social Cristão do pastor Everaldo, também em Sergipe do candidato Eduardo Amorim. Cristianização é termo resultante de um substantivo próprio que foi adjetivado.
Cristiano Machado, respeitado político mineiro foi lançado pelo matreiro PSD para concorrer contra o ex-ditador Getúlio Vargas , do PTB, que queria retornar democraticamente eleito. Cristiano tinha pela frente um outro forte adversário, o brigadeiro Eduardo Gomes, homem singular, que portava a imagem heroica de sobrevivente do grupo de militares rebelados protagonistas da revolta do Forte de Copacabana; mas ainda, de piloto audaz da Aeronáutica, pioneiro do Correio Aéreo, ao mesmo tempo a outra imagem do católico carola, extremamente conservador, reservado, comedido, que seria até casto, enquanto as mulheres à sua volta deliravam cantando: ¨Brigadeiro, Brigadeiro, é bonito e é solteiro¨.
Naquele tempo não havia pesquisas com a credibilidade de algumas, ou a evidente manipulação de outras, mas, todas as evidencias mostravam que o discreto e arredio Cristiano Machado caminhava para um desastre eleitoral. Foi então que os espertos pessedistas, por todo o país começaram a migrar em direção à candidatura de Vargas. Os comentaristas políticos começaram a falar em ¨cristianização¨.
Ainda há quem acredite na ressureição do candidato que se esfarinhou, virou pó. Ontem pela manhã na rádio Jovem Pan, programa de André Barros, o candidato a vice na chapa de Amorim, o tucano Franco Neto, reafirmou sua confiança na candidatura de Aécio, disse que ele vai se recuperar , que permanece competitivo.
Franco Neto demonstrou que não aceita o cancelamento do grande comício programado para Itabaiana, onde estariam, como estrelas no mesmo palanque, o candidato Aécio Neves abraçado ao candidato Eduardo
Amorim.
Franco Neto quer evitar em Sergipe a ¨cristianização¨ de Aécio.