O COMANDANTE WALMIR

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/09/2014 às 17:48:00

Walmir Almeida começou a namorar aviões ainda menino, e casou com eles, união estável e indissolúvel durante toda a vida que passou dos oitenta. Um dos pilotos saídos daquelas fornadas do Aeroclube de Sergipe (agora infelizmente vítima de gestões insensatas quase paralisado) Walmir, que era fotógrafo, e foi pioneiro a produzir filmes em Sergipe, quando conseguiu juntar a quantia suficiente, logo comprou um avião. Passou então a comprá-los e vendê-los, e a acumular horas de voo. Foi um dos que mais estimularam a aviação em Sergipe e mereceu figurar na capa da revista Flying.
Seu filho Eduardo, também fotógrafo e piloto como ele (o outro, Walmirzinho, morreu num acidente pilotando um ultraleve) está agora concluindo o curso de gestão pública, e ao convite para a formatura, junta um folheto que escreveu, literatura de cordel, como ele mesmo o define, onde homenageia o pai, o Comandante Walmir.