SERGIPE, O ATOLEIRO DE AÉCIO

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/09/2014 às 01:26:00

Aécio Neves vem reagindo subindo sempre de uma pesquisa para outra, mas o tempo é curto e dificilmente conseguirá atropelar Marina nesta ultima semana antes da eleição. O ex-governador mineiro deverá ficar mesmo como uma carta fora do baralho não chegando ao segundo turno.
Com desempenho razoável em alguns estados e ruim em outros, Aécio tem em Sergipe uma performance abaixo do que se poderia definir como pífia. Não consegue chegar aos dois dígitos, e, se mantida essa situação, será o pior resultado em Sergipe de um candidato potencialmente forte em nível nacional. Instalou-se na campanha um clima de cada um por si e a eleição presidencial passou ao segundo plano, tanto para os Amorins como para o DEM, que, tendo a senadora Maria a liderar as pesquisas, não quer associar-se ao evidente naufrágio de Aécio. Na semana que passou um dos coordenadores da candidatura tucana, o deputado alagoano Aloísio Nonô veio tentar injetar um pouco de animo no tucanato local, aqueles remanescentes do outrora vistoso PSDB. À reunião, nem esteve presente o ex-governador Albano Franco, que, além da reeleição ao Senado de Maria do Carmo da qual seu filho Ricardo é suplente, por quase nada mais demonstra interesse; o mesmo acontecendo com a aguerrida Leonor Franco, que se tem concentrado em pedir votos exclusivamente para Maria. O antigo ninho, ou fortaleza do tucanato, o agora esquálido PSDB, sobrevive apenas pela expressão política que tem o vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado. O que será do altissonante Partido da Social Democracia Brasileira a partir do próximo ano?