Cenam: interno adulto tentou matar agente

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/10/2014 às 00:37:00

A tentativa de fuga ocorrida ao fim da tarde de ontem no Centro de Atendimento ao Menor (Cenam) quase resultou no assassinato de um agente socioeducativo. A informação foi confirmada ontem com a divulgação de um boletim de ocorrência prestado durante a madrugada na Delegacia Plantonista pelo próprio agente, cuja identidade não foi revelada. Ele foi ferido na boca e na mão esquerda com dois golpes de um chuço feito com barras de ferro. A mesma queixa revela que os golpes foram dados pelo interno Alisson Bispo de Jesus, o qual já completou 18 anos e foi detido em flagrante por tentativa de homicídio.
O relato do agente descreve que ele estava acompanhado por outros cinco agentes e conduzia Alisson de volta à Ala 2, depois de o mesmo ter recebido atendimento no posto médico. Neste momento, o acusado se armou com o chuço e tentou atingir o pescoço do servidor, mas ele se desviou e aparou a arma com a mão, sofrendo o primeiro corte. O interno tentou outro golpe e feriu o rosto da vítima. O grupo de agentes agiu rápido e Alisson foi desarmado e se feriu com o próprio chuço. Ambos foram socorridos ao Pronto-Socorro Nestor Piva, no 18 do Forte (zona norte).
O confronto foi visto pelos outros 13 internos da Ala 2, que se rebelaram e iniciaram um quebra-quebra, destruindo completamente as paredes e grades do compartimento. Os outros agentes do Cenam controlaram o tumulto até a chegada da Polícia Militar, que reforçou a segurança. Nenhum interno fugiu. Depois de a situação ser controlada, os policiais prenderam Alisson em flagrante e levaram-no à Plantonista assim que o mesmo teve alta. O interno deve ser transferido nos próximos dias para uma unidade prisional destinada a adultos, deixando assim de completar a medida socioeducativa a que responde no Cenam.
A Fundação Renascer deve abrir uma sindicância para apurar as circunstâncias e causas do tumulto, visando descobrir se a ação foi planejada pelos adolescentes ou foi uma situação consequente do próprio serviço da unidade. A direção do órgão nega ter ouvido falhas de segurança e afirma que o tumulto não pode ser considerado uma rebelião, por não ter repercutido em todo o Cenam. Já o Sindicato dos Agentes de Medidas Socioeducativas de Sergipe (Sindasse) atribui o episódio à falta de efetivo e de condições de trabalho nas unidades da Renascer.
Esta foi a primeira tentativa de fuga registrada desde outubro do ano passado, quando o Cenam e a Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip) foram abaladas por uma sequência de fugas e rebeliões dos internos, além de uma greve dos agentes socioeducativos que durara 100 dias. Nesta semana, Aline Cândido Costa, a juíza da 17ª Vara Cível de Aracaju, ordenou o afastamento provisório de parte da diretoria da Fundação Renascer, devido a denúncias de irregularidades e falhas na execução do serviço de medidas socioeducativas, bem como à morte de um interno da Usip que está sendo apurada em segredo de justiça.