SERGIPE PRODUZINDO CACAU

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 04/10/2014 às 17:02:00

A região da citricultura no centro-sul sergipano começa a viver a euforia causada por um novo cultivo que se mostra entusiasticamente promissor. Trata-se do cultivo do cacau, um fruto que antes era restrito ao sul baiano, criando uma civilização característica sobre a qual, com tanta exuberância literária, tratou Jorge Amado nos seus romances de cunho regionalista.
O agrônomo Bernardo Lima que nunca perde a chama do entusiasmo juvenil já transpondo os setenta, enxerga na ainda incipiente cacauicultura sergipana uma espécie de redenção para a nossa decadente área dos imensos laranjais. Bernardo diz que o cacau é, certamente, o único cultivo que não sofre as variações do mercado, sempre mantendo preços estáveis, e tem garantida uma forte expansão pelos próximos anos. Em Sergipe a produtividade dos cacaueiros é surpreendente, aqui, a média é de cem frutos por árvore, enquanto no sul baiano, no Pará, no Espírito Santo não chega a cinquenta.