Déda mobiliza militância para campanha

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Déda defende uma ampla mobilização para eleger Valadares
Déda defende uma ampla mobilização para eleger Valadares

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/07/2012 às 21:14:00

Chico Freire
chicofreire@jornaldodiase.com.br

O governador Marcelo Déda (PT) comandou ontem  reunião com lideranças políticas, parlamentares e candidatos a vereador para traçar metas para a campanha eleitoral deste ano.

Compareceram à sede do PMDB em Aracaju, onde se deu o encontro,  vice-governador Jackson Barreto (PMDB), o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) e os candidatos a prefeito e vice de Aracaju, respectivamente Valadares Filho e (PSB) e Conceição Vieira (PT).

Segundo o govenador, a reunião teve como objetivo definir os atos que vão colocar nas ruas de Aracaju o nome de Valadares Filho. O lançamento festivo da candidatura ocorrerá no próximo dia 20, no comitê de campanha, na avenida Barão de Maruim.

Segundo Déda, estão nos planos da coligação governista uma grande carreata, uma grande caminhada, ações nos bairros, mobilização da militância e visita aos bairros.

Perguntado se não está havendo demora para se colocar o bloco na rua, ele disse que não, já que  não se poder fazer gastos de campanha sem o registro do comitê financeiro e sem organizar legalmente o processo eleitoral.

Questionado sobre possíveis reclamações devido à ausência no momento em que estava sendo definido as alianças -  o governador estava em visita à Alemanha - , disse desconhecer qualquer problema dessa ordem.

"Na verdade ninguém me dirigiu uma única reclamação e ninguém foi surpreendido com a viagem que já estava marcada há cerca de 30 dias, ou seja, um mês antes da viagem, e nada mudou. Tudo que tinha sido acertado antes foi cumprido depois. Do ponto de vista político estava tudo definido. Eu viajei no dia 28 e no dia 30 foram as convenções e não houve nenhum problema", esclareceu.

Hospital do Câncer - Sobre a polêmica em torno da elaboração do projeto para a construção do  Hospital do Câncer de Sergipe,  que o senador Eduardo Amorim (PSC) considera atrasado,  Déda comentou:  "Em  primeiro lugar,  é preciso esclarecer que o que está garantido é uma emenda no valor de R$ 18 milhões para uma obra que pode chegar a R$ 40 milhões, e que é preciso ter claro que não há nenhuma garantia plena de recursos para construir  o hospital".

Ele continuou: "Em segundo lugar, é preciso dizer que o governo do estado tem projeto desde há dois anos atrás, elaborou o projeto executivo e está fazendo os projetos complementares;  está tudo dentro daquilo que deve dirigir a elaboração de uma obra como essa".

E arrematou: "Nós não podemos apresentar um plano de trabalho prevendo um gasto de R$ 35 a R$ 40 milhões, com apenas R$ 18 milhões garantidos. O governo está agindo de forma extremamente correta, buscando consolidar o projeto e em contato permanente com o Ministério da Saúde, a respeito do acesso aos recursos. Terei na próxima semana uma audiência com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao lado do secretário de Saúde do Estado, Silvio Santos".

O governador disse também que vem buscando outras fontes de financiamento para a construção do Hospital do Câncer.  "Essa é a diferença da seriedade para a demagogia. A demagogia se vale de palavras vazias. O compromisso e a responsabilidade se vale de ações concretas", disse, num recado claro ao senador Eduardo Amorim.