PSB dá motivos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/10/2014 às 00:17:00

"As minhas premonições me avisam: apenas estão inventando pretexto pra 2016 e 2018. Quem viver, verá!". Essa afirmação é do senador Valadares (PSB) feita nas redes sociais e publicada ontem pela coluna, mediante o descontentamento do governador reeleito Jackson Barreto (PMDB) e aliados com o apoio oficial do PSB ao presidenciável Aécio Neves (PSDB) no segundo turno.

Pretexto ou não, o senador Valadares deu motivos para que em 2016 o PT da presidente Dilma não tenha nenhum motivo para apoiar uma provável candidatura do deputado federal eleito Valadares Filho (PSB) à Prefeitura de Aracaju. Assim como o PMDB de Jackson, que está empenhado na reeleição de Dilma para que possa manter a parceria do governo federal com o governo estadual, beneficiando Sergipe.

Como o governador, lideranças petistas não ficaram nada satisfeitas com a posição do PSB de Sergipe. Principalmente com as declarações do próprio Valadares e do médico Edney Caetano (PSB), que foi candidato a deputado estadual na coligação liderada pelo governador Jackson Barreto, tendo como candidato ao Senado o deputado federal do PT e presidente estadual do partido, Rogério Carvalho.
Edney, inclusive, para defender o apoio a Aécio Neves na sexta-feira passada, durante reunião da Executiva Estadual do PSB, fez várias críticas ao PT. Chegou a dizer que o "PT é o partido da corrupção" e que piorou a saúde no país.

Para lideranças do Partido dos Trabalhadores, o médico do PSB extrapolou. Lembram que nas últimas duas décadas os dois partidos sempre foram aliados em Sergipe e em Brasília, tendo, inclusive, o PSB ocupado vários cargos no governo federal e no governo estadual do PT.
Falam ainda que em 2012 o PT retirou sua candidatura a prefeito de Aracaju para apoiar Valadares Filho. Ressaltam que Rogério Carvalho praticamente já estava em campanha para prefeito da capital, quando o então governador Marcelo Déda (PT) convenceu Rogério e o partido de que deviam manter a unidade do bloco e apoiar o candidato do PSB.

As lideranças do PT não são as únicas que estão insatisfeitas com as lideranças do PSB em Sergipe, mas a militância petista. Isso foi sentido anteontem à noite durante reunião de militantes de partidos da base aliada do governo com Jackson Barreto e Rogério Carvalho, no Iate Clube, para tratar da campanha de Dilma no Estado.   
Trocando em miúdos, é muito provável que em 2016 o PT dê o troco ao PSB não apoiando nem votando no candidato do partido a prefeito de Aracaju. Entre alguns petistas, isso já são favas contadas ...

Diplomação 1
Os eleitos no pleito de 05 de outubro no Estado de Sergipe serão diplomados no próximo dia 18 de dezembro, à tarde, no Teatro Tobias Barreto. A data da diplomação foi deliberada ontem, por unanimidade, pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Diplomação 2
A data da diplomação foi marcada após os membros do TRE terem aprovado o relatório geral da Comissão Apuradora e lavrado a ata geral do 1º turno das eleições 2014, proclamando o resultado definitivo para os cargos de governador e vice-governador, senador e suplentes, deputados federais e deputados estaduais no Estado de Sergipe.

Majoritários
Serão diplomados no dia 18 de dezembro: Jackson Barreto (governador), Belivaldo Chagas (vice-governador) e Maria do Carmo Alves (senador). Além dos suplentes de senador Ricardo Franco - PTB (1º suplente) e pastor Virgínio - PSC (2º suplente).

Proporcionais 1
Como deputado federal serão diplomados pela coligação de Eduardo Amorim (PSC): Adelson Barreto (PTB), Laércio Oliveira (SD) e Mendonça Prado (DEM). Já pela coligação de Jackson Barreto (PMDB): Fábio Mitidieri (PSD), Fábio Reis (PMDB), Valadares Filho (PSB), Pastor Jony (PRB) e João Daniel (PT).

Proporcionais 2
Para a Assembleia Legislativa serão diplomados pela coligação de Jackson:  Silvia Fontes (PDT), Gustinho Ribeiro (PSD), Zezinho Guimarães (PMDB), Jeferson Andrade (PSD), Luiz Mitidieri (PSD), Garibalde Mendonça (PMDB), Luciano Bispo (PMDB), Robson Viana (PMDB), Ana Lúcia (PT), Luciano Pimentel (PSB), Francisco Gualberto (PT), Jairo de Glória (PRB) e Padre Inaldo (PCdoB).

Proporcionais 3
Já pela coligação de Eduardo Amorim serão diplomados deputado estadual: Dr. Vanderbal (PTC), Pastor Antonio (PSC), Augusto Bezerra (DEM), Gilson Andrade (PTC), Valmir Monteiro (PSC), Capitão Samuel (PSL), Paulinho da Varzinhas (PTdoB), Goretti Reis (DEM), Venâncio Fonseca (PP) e Georgeo Passos (PTC).

Detalhe
Pode haver alteração de alguns nomes na diplomação do dia 18 de dezembro se até lá o deputado federal André Moura (PSC) e o ex-prefeito Manoel Sukita (PSB) consigam no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) derrubar o indeferimento das suas candidaturas a deputado federal e deputado estadual, respectivamente. Os dois conseguiram votos suficientes para serem eleitos em 05 de outubro, mas como concorreram com as candidaturas sub-judice os seus votos não foram computados, estando armazenados.     

Mudando de lado
Informações chegadas à coluna dão conta que alguns deputados estaduais eleitos pela oposição desejam integrar a bancada governista. A coligação do governador eleito Jackson Barreto (PMDB) elegeu 13 deputados estaduais, mas conta com 14 parlamentares aliados, uma vez que Goretti Reis (DEM), reeleita pela coligação do candidato derrotado Eduardo Amorim, apoiou a sua reeleição junto com a família Reis.

Pé no governo
Segundo alguns deputados da bancada governista, o deputado estadual reeleito Paulinho da Varzinhas (PTdoB) "está doido" para aderir  ao governo. Garantem que tem mais uns dois eleitos pela oposição também desejando integrar a bancada governista a partir de 2015.

Única restrição
Um aliado muito próximo de Jackson Barreto assegurou à coluna que o governador só não deverá aceitar, em hipótese alguma, na sua base aliada o deputado estadual reeleito Capitão Samuel (PSL). Razão: as ações e os ataques "odientos" ao governo e ao próprio governador.  

Contra chapinha
Durante as convenções partidárias, o deputado estadual reeleito Zezinho Guimarães (PMDB) se manteve contrário a formação de chapinhas na coligação encabeçada pelo governador Jackson Barreto. Defendeu até o fim a formação de um chapão, ganhando quem tivesse mais votos.
Realidade 1
Aos amigos, Zezinho tem confidenciado que estava certo nas suas colocações. Isso porque a chapinha elegeu três deputados estaduais, sendo um deles, o Padre Inaldo (PCdoB), com apenas 14.510 votos, deixando de fora a deputada estadual Conceição Vieira (PT), que obteve 22.298 votos.

Realidade 2
Para Zezinho, os dois outros candidatos da chapinha - Silvia Fontes (PDT) e Jairo de Glória (PRB) - tiveram votos para serem eleitos no chapão. Silvia foi a campeã de votos, com 42.613, e Jairo conquistou nas urnas 22.560. Está certo: se não tivesse o chapão Conceição Vieira teria sido eleita junto com Silvia, Jairo e os demais que tiveram votos suficientes na coligação.

Curiosidade 1
Os dois deputados estaduais que mais fizeram oposição ao governo Marcelo Déda/Jackson Barreto - Venâncio Fonseca/PP e Capitão Samuel/PSL - reduziram significativamente suas votações nas eleições deste ano, se comparado a 2010. Capitão Samuel foi eleito deputado estadual em 2010 com 43.370 votos e agora foi reeleito com apenas 23.984. Já Venâncio obteve 27.796 votos na penúltima eleição e, nessa última, conquistou 23.143, sendo o penúltimo a ser eleito da sua coligação.

Curiosidade 2
Outros deputados da oposição aumentaram a votação. Augusto Bezerra (DEM), por exemplo, foi eleito em 2010 com 24.641 votos e agora foi reeleito com 27.755 votos. Gilson Andrade (PTC) obteve 15.395 na penúltima eleição e nessa 26.170 e Pastor Antonio (PSC) conquistou 21.308 votos em 2010 e em 2014 um total de 31.219.

Curiosidade 3
Na base governista aumentaram significativamente a votação: Zezinho Guimarães (PMDB), que passou de 22.499 votos para 34.863 votos; Gustinho Ribeiro (PSD), que em 2010 obteve 15.654 votos e agora conquistou nas urnas 34.863; Ana Lúcia (PT), que passou de uma votação de 20.000 para 26.334; e Garibalde Mendonça (PMDB), que aumentou de 26.074 para 31.401 a sua votação.

Curiosidade 4
Dois deputados tiveram praticamente a mesma votação nas duas últimas eleições: Paulinho da Varzinhas (PTdoB) e Jeferson Andrade (PSD). Paulinho obteve 23.054 votos em 2010 e em 2014 um total de 23.268 e Jeferson obteve há quatro anos 33.726 e agora 33.898. 

Veja essa...
Profissão: deputado. Dos 1.612 candidatos eleitos no primeiro turno das eleições deste ano, 688 (42,68%) informaram à Justiça Eleitoral ter a ocupação de deputado. Tal ofício foi o campeão dentre os mais de 70 declarados pelos concorrentes do pleito deste ano no ato do pedido de registro de candidatura. Em seguida, vêm as profissões de empresário, com 141 candidatos eleitos, advogado, com 137, médico, com 90, e outros, com 86.

Curtas
O presidente estadual do PT, Rogério Carvalho, disse ontem que o partido precisa retomar as caravanas e debates interno. Revelou que em 2015 vai retomar esse trabalho e recompor os diretórios municipais. O objetivo é fazer o partido crescer e voltar a ser atrativo.

O ex-deputado federal João Fontes propõe um debate com o presidente do PT, Rogério Carvalho, sobre os presidenciáveis Dilma Rousseff x Aécio Neves. Diz que o objetivo é debater o futuro do Brasil.

Fontes, que foi expulso do PT ainda no governo Lula com mais outros três parlamentares petistas após votarem contra projetos do governo federal no Congresso Nacional, defende a candidatura tucana pela alternância de poder. Acha que o debate pode contribuir para a discussão dos dois projetos.   

De volta a Câmara, o deputado federal e líder do PSC André Moura cobrou a apreciação do PL 7836/14 que institui a gratificação por exercício cumulativo de ofícios e de função administrativa dos membros da Defensoria Pública da União. A propositura é de autoria da Defensoria Pública da União (DPU).