Paciente com risco de ebola descartado recebe alta e deixa a Fiocruz

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/10/2014 às 00:17:00

Isabela Vieira
Agência Brasil

Depois de descartada a suspeita de ebola, o paciente da Guiné que estava internado há cinco dias para exames na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, foi liberado ontem (15), às 7h. A pedido do próprio paciente, as autoridades não deram informações sobre o destino dele.

Proveniente da Guiné, um dos países que notificaram alto número de casos da doença, o paciente, um homem de 47 anos, deu entrada na Fiocruz para a realização de exames na última sexta-feira (10). Após resultados negativos em dois testes e descartadas as suspeitas de qualquer doença infecciosa, ele foi recebeu alta.
Em entrevista na terça (13), os médicos da Fiocruz revelaram que o paciente tomou conhecimento sobre a repercussão do caso na imprensa e sobre comentários racistas em sua rede social. O homem teme ser discriminado na cidade onde residia, no Paraná.

"Ele ficou preocupado, na situação dele de refugiado isso gera uma preocupação grande", contou o vice-presidente do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), da Fiocruz,  José Cerbino, sobre o receio do paciente.
Durante o período em que esteve internado no isolamento, com risco da doença, foram adotados procedimentos de segurança, como roupas especiais para os profissionais da saúde e limpeza e descarte de materiais. Pratos, talheres e lençóis, por exemplo, eram incinerados.