Bancos públicos aplicaram R$ 4,2 bilhões em Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O secretário Saumíneo Nascimento
O secretário Saumíneo Nascimento

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/10/2014 às 00:20:00

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Caixa Econômica Federal (CEF), o Banco do Brasil (BB) e o Banco do Nordeste do Brasil (BNB), representando os bancos públicos federais, e o estadual Banco de Sergipe (Banese), aplicaram na economia sergipana, durante o primeiro semestre de 2014, R$ 4,2 bilhões em operação de crédito para diversos setores, atividades e beneficiários. As informações foram repassadas para a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), conforme solicitação do secretário e economista Saumíneo Nascimento para acompanhamento analítico da evolução do crédito e seu impacto na economia do estado.

Saumíneo avalia que estes números estão em sintonia com a perspectiva apontada pelos bancos durante todo este ano, de aplicar na economia sergipana cerca de R$ 8 bilhões. "A atuação dos bancos públicos no estado, na concessão de crédito para empresas e pessoas físicas, é um esforço importante no atual cenário econômico que recebe, de forma constante, novos investimentos e empreendedores que sinalizam para a continuidade do crescimento econômico de Sergipe", comenta.

Um dos importantes segmentos de influência na economia do país, o setor imobiliário em Sergipe contou com créditos, de bancos públicos, aplicados de aproximadamente R$ 1 bilhão. "O crédito imobiliário aplicado pelos bancos públicos em Sergipe é um importante agente de oportunidades para empresas e, principalmente, para pessoas físicas que buscam adquirir sua casa própria ou até mesmo abrir seu próprio negócio", esclarece Saumíneo, lembrando que no estado são três os bancos públicos que operam neste setor, a CEF, o BB e o Banese.

Outra aplicação detalhada pelos bancos públicos foi no setor rural, que no período do primeiro semestre deste ano contou com R$ 284 milhões para operações de custeio e investimento das atividades desenvolvidas no meio rural sergipano. "É importante ressaltar que os bancos aplicaram cerca de 6% dos recursos apresentados para o seguimento rural, um valor significante se comparado aos 3,5% de representação do setor no PIB sergipano", explica o secretário.

O relevante número de aplicações reflete ainda no investimento dos bancos para o melhor atendimento ao cliente no estado. Apenas no primeiro semestre de 2014, Sergipe recebeu três novas agências bancárias. Até junho deste ano, conforme dados do Banco Central, são 214 agências distribuídas em todo o estado. "Sergipe é o único que possui um banco estadual, o Banese, na região Nordeste. Apenas o Banese dispõe de 62 agências e é o 15º colocado no Brasil entre os bancos pelo critério do número de agências", acrescenta o secretário.
Saumíneo destaca também a boa atuação dos bancos privados na economia sergipana, no mesmo período. "A perspectiva é de que os bancos cumpram suas metas de aplicação de recursos e auxiliem de forma decisiva no desenvolvimento econômico do estado", conclui.