Uma no cravo, outra na ferradura

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/10/2014 às 00:31:00

A forma raivosa e virulenta com que o senador Valadares (PSB) vem atacando tradicionais aliados e adversários pela sua surpreendente adesão à candidatura de Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da disputa presidencial, parece confirmar uma boa relação pessoal do senador com o candidato.
Não fosse essa íntima relação pessoal com Aécio, não haveria qualquer razão para que o senador decidisse se somar a João Alves (DEM) e Eduardo Amorim (PSC), que ele ajudou a derrotar no primeiro turno da disputa estadual com a reeleição do governador Jackson Barreto (PMDB), na raivosa campanha contra o PT e a presidente Dilma Rousseff nas eleições que serão encerradas neste domingo.

Valadares, o pai, diz que apenas seguiu as orientações da nova direção nacional do PSB, que optou por Aécio. Quem conhece a sua forma autoritária e centralizadora de comandar o partido sabe que não é bem assim. Tanto que ele liberou o próprio filho, o vice-governador eleito Belivaldo Chagas, prefeitos e todo mundo que possui algum voto no PSB a seguir Jackson e o PT na campanha de Dilma. Somente o engenheiro agrônomo Paulo Viana, que hoje preside o diretório regional do PSB e até bem pouco tempo comandava a superintendência regional da Codevasf, nomeado pela presidente Dilma, o acompanha plenamente, da mesma forma que faz nas farras da madrugada.

No início do mês, através do site do jornalista Paulo Henrique Amorim, foi divulgada cópia de documento do Sindifisco de Minas Gerais, registrado em um dos cartórios daquele Estado, revelando a lista de captação e distribuição de recursos ilegais por parte de Aécio, para campanhas municipais de 2012 em todo País. R$ 300 mil teriam sido destinados para a campanha de Valadares Filho, quando ele disputou a PMA com o apoio do PT, que retirou a candidatura do deputado federal Rogério Carvalho, do então governador Marcelo Déda e de JB,. Em Sergipe, na mesma campanha, o prefeito João Alves Filho, que derrotou Valadares Filho, também teria sido aquinhoado com R$ 350 mil.
Valadares Filho nega a doação e diz que vai impetrar ação judicial contra Paulo Henrique Amorim. Mas evita polemizar com os tradicionais aliados. Já o pai é virulento, como mostrou a jornalista Rita Oliveira em suas colunas na semana passada:

"O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) voltou a surpreender ontem os sergipanos com novas postagens em seu tuiter sobre o apoio ao presidenciável tucano Aécio Neves, que provocou a indignação do governador reeleito Jackson Barreto (PMDB) e aliados. Isso porque se referiu a petistas como 'abutres', tendo sido aliado dos governos do PT em Brasília e em Sergipe há mais de uma década".
Disse Valadares: 'Os abutres estão mostrando as suas garras asquerosas e não têm limites nos seus ataques. É hora de darmos um basta à mentira, lutando para reerguemos a democracia, agora ameaçada com denúncias cavilosas, absurdas e raivosas da parte daqueles que não admitem alternância e se julgam donos do Brasil. Abaixo a calúnia, a mentira e a falsidade'.

Prossegue o senador: 'Manipulam pesquisas, espalham boatos, denigrem a honra de adversários, ameaçam e divulgam falsos dossiês, tudo em nome do poder, a que se agarraram com sofreguidão e apego irrefreável. Não recuaremos, não nos intimidaremos. Haja o que houver, a nossa meta é seguirmos o caminho da verdade do qual não nos desviarão. Com Aécio para a vitória do Brasil!', informou a jornalista.
Por enquanto, tanto Jackson quanto a direção do PT têm agido com moderação nas respostas aos ataques de Valadares. O governador reeleito, por exemplo, se limitou a dizer: "Não entendo lideranças que foram da direita, que disseram que se encontraram na esquerda e do nada voltam para a direita. Não tem problema, vamos seguir em frente". E completou: "As bases do PSB de todo o interior do estado estão com Dilma. Como eu não sou artista, não vou entrar nesse teatrinho. Eu fiz campanha para Dilma com o prefeito de Estância, que é do DEM, com o prefeito de Itabaianinha que é do PSDB, com os prefeitos do PSB, recebi a solidariedade de Belivaldo. Não estou preocupado com o que o senador Valadares faz. Estou em paz com a minha consciência".

O senador Valadares, através das redes sociais, informa que após a definição do novo presidente da República pretende conversar com JB para a formação da nova administração, pois quer ajudá-lo a "fazer um grande governo".
Será que ainda haverá espaço e condições de diálogo? Talvez. Valadares sempre foi de dar uma no cravo, outra na ferradura.

Minimiza
Apesar da agressividade do senador Valadares, o presidente estadual do PT, deputado federal Rogério Carvalho, conhecido por não levar desaforo pra casa, tenta minimizar. "Um partido pode se posicionar sobre alguma decisão política, mas não de forma agressiva. Osso é lamentável". Rogério atribui os problemas a crise enfrentada pelo partido desde o início da campanha presidencial. "No momento, o partido não sabe se é de esquerda ou de centro-direita. Uns defendem o projeto que vinham conduzindo com o PT nacional e local. Quem se distanciou foi um grupo do partido e seus líderes", afirmou.

Aracaju
Nas eleições de 2012, Rogério venceu todas as etapas internas no PT de Aracaju na definição do candidato a prefeito, mas acabou abrindo mão da disputa para unificar o bloco em torno da candidatura de Valadares Filho. Agora evita falar na repetição da aliança em 2016: "Não depende do PT, mas das escolhas do PSB. O partido fez uma escolha que nos distancia. Foi o PSB quem deu o passo para o distanciamento, não fomos nós. Vamos aguardar a turbulência passar e o PSB se remontar".

Canindé
O prefeito de Canindé do São Francisco, Heleno Silva (PRB), é surpreendente: mal recebeu a confirmação de que os seus candidatos a deputado federal, Pastor Jones, e a deputado estadual, Jairo de Glória, estavam mesmo eleitos, passou a protestar com a previsível queda na arrecadação do seu milionário - em arrecadação e miséria - município. Já ameaçou renunciar e agora iniciou uma cruzada pelos órgãos técnicos, em busca de ajuda. Desde a inauguração da usina hidrelétrica de Xingó, Canindé possui receita equivalente aos municípios mais ricos do país.
Cartada final
Dezenas de militantes do Partido dos Trabalhadores ligados aos diversos setoriais ocuparam o calçadão da rua João Pessoa na manhã de ontem para tentar convencer eleitores indecisos a votarem em Dilma Rousseff hoje. Antes, com suas bandeiras vermelhas, eles passaram pelos mercados centrais e pelos terminais de ônibus do Centro distribuindo santinhos e praguinhas. À tarde eles organizaram um 'bicicletada' pelas ruas da cidade, com saída do calçadão da 13 de Julho. Já durante a noite a turma de apoio a Dilma fez campanha na Passarela do Caranguejo.

Cartada final I
A meta dos organizadores da campanha de Dilma em Sergipe, entre eles a ex-primeira dama Eliane Aquino, é garantir uma boa margem de vitória para Dilma hoje. No primeiro turno, ela obteve 54,93% dos votos válidos dos sergipanos. O adversário Aécio Neves obteve no primeiro turno 22,68% dos votos em Sergipe.

Falastrão
Manoel Messias Sukita, o ex-prefeito de Capela que concorreu a uma vaga de deputado estadual sub-judice por ter renunciado à candidatura junto ao TRE, virou agora o maior falastrão do meio político sergipano. Depois de ter sido expulso pelo PSB, passou a semana propagando que integrantes do PSD, PMDB e até PT já haviam lhe convidado para ingressar numa dessas siglas. Todavia, nada a confirmar. No PMDB ninguém respalda a conversa. No PT, o presidente regional Rogério Carvalho avisou que sairá com nota desmentindo a história. Já no PSD, o presidente Jeferson Andrade disse que existe uma manifestação isolada de desejo por parte de Fábio Mitidieri, mas garantiu que dentro do partido são muitos os contrários a esse suposto convite.

Souza
Quis o destino que pouco menos de um mês antes de morrer, José Souza, então presidente do Sindicato dos Bancários de Sergipe (SEEB/SE), organizasse uma significativa homenagem a todos os ex-presidentes daquela entidade que completou recentemente 80 anos de existência. No dia 28 de setembro, Souza, falecido neste 21 de outubro, havia inaugurado a Galeria dos Presidentes com grande festa na sede do sindicato. Também montou a Linha do Tempo e a Biografia dos Presidentes e uma exposição fotográfica itinerante, para recordar importantes momentos de luta e de resistência desses 80 anos. E mais: lançou o Selo Personalizado dos 80 Anos, promoveu um Encontro de Gerações dos Presidentes do SEEB/SE e organizou o debate "As eleições e os Trabalhadores". Agora será ele a ser o homenageado.