DEPOIS DO RESULTADO É PRECISO REJUNTAR A NAÇÃO

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 25/10/2014 às 16:32:00

Vença quem vencer hoje, a partir de amanhã, reeleita Dilma ou eleito Aécio, quem for governo ou oposição deverá ter o bom senso de começar a retirar da cena social o radicalismo que tem caracterizado esta campanha. Polarização é fenômeno natural em campanhas políticas e pode ser até um sintoma positivo para a democracia, mas, transformar a disputa numa espécie de batalha onde não faltam intolerância, ódio e até apelos estúpidos e incivilizados à violência, é algo que corrói a convivência e joga para bem longe a civilidade. Para começar, seria bom que retirássemos do debate democrático adjetivos tais como ¨Petralhas¨ e ¨Tucanalhas¨. Feito isso, preparemo-nos para conviver civilizadamente com qualquer um que se tornar presidente, e o outro que estiver na oposição, sabendo que, em qualquer das duas opções o Brasil não acaba, e que a Nação precisará continuar com as mesmas características de uma sociedade tolerante, contemporizadora, destituída de ódios e pueris preconceitos.
Em primeiro lugar é preciso que a sociedade demonstre um quase sacrossanto respeito à vontade do povo, e que um lado não enxergue o outro como inimigo inconciliável, ou a própria representação do mal.