Adauto Machado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
ELE É UM ARTISTA EM REGIME DE TEMPO INTEGRAl
ELE É UM ARTISTA EM REGIME DE TEMPO INTEGRAl

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/11/2014 às 00:48:00

Artistas Plásticos (3)

Adauto Machado dos Santos nasceu em Nossa Senhora das Dores, no ano da graça de 1950. Com apenas seis anos de idade descobriu sua vocação para as artes visuais, desenhando nas calçadas de sua cidade.
Inicia-se profissionalmente como desenhista publicitário e logo faz-se cidadão do mundo com suas andanças europeias e preocupado em aprimorar sua técnica, o seu estilo e sua arte vigorosa e das mais profícuas.
Nas obras de Adauto percebe-se claramente que desenho e semitons acham-se inteiramente separados, livres para executarem sua melodia, mas de idêntica proveniência e estilo. A marca dessas obras é o requinte, a doce vida a céu aberto dos seus cavalos, quase alados, a liberdade e a alegria de viver expressas indelevelmente em suas paisagens oníricas e opulentas.

Acompanho a trajetória de Adauto desde os idos de 1970, quando exercia a função de crítico de arte do Jornal da Cidade e hoje, reafirmo o que já havia dito àquela época: o tom formal, a textura mágica de seus quadros, somente reforça, em sua dissecação aquela perfeita unidade de bom gosto e sobriedade inusitada. Aliás, verdade seja dita, o artista tudo faz para desvendar esse efeito de refinamento, de leveza. Suas pinturas vão para as paredes proporcionando o mais puro gozo dos sentidos, o percorrer sensível dos olhos, o reconhecimento lúdico dos semitons. Nelas, nada agride, não força o olhar do espectador. Mas conta uma certa história poética de voos livres, de posições libertárias, de descobertas tonais a gerar sínteses puras e raras.
Enfim, a pintura de Adauto Machado é um prazer para os olhos, prazer que alimenta, encantando, a nossa alma errante. É transcendental!

Geleia geral

... Que o Renato Aragão (agora fazendo teatro pela primeira vez, aos oitenta anos) é um bom comediante na pele de Didi, o seu alter-ego, não se discute. Mas daí a alguém, em sã consciência, querer compará-lo a Charles Chaplin, é uma heresia! A distância que separa Renato de Chaplin é intransponível. Por razões óbvias.  

... Não tem nada melhor na TV brasileira, às quartas-feiras à noite, do que o programa "Direção Espiritual", com o padre superstar Fábio de Mello. O único senão é a barba, que ele deixou cultivar de forma equivocada, já que não lhe cai nada bem. Em tempo: o programa faz parte da grade da TV Canção Nova.

... Muito bom o DVD de Roberta Miranda celebrando os seus 25 anos de carreira. Gravado em estúdio, numa produção minimalista, sem recursos de cenografia, mas com uma iluminação perfeita e a participação de "torcida organizada", o show dirigido por ela nem mesma prima pelo excelente repertório incluindo os seus maiores hits, como "São Tantas Coisas", "Sua Majestade, o Sabíá", "Sol da Minha Vida" e "Vá Com Deus". A grande surpresa é "Café da Manhã", o clássico de Roberto e Erasmo Carlos, valorizado pela excelente voz e interpretação personalíssima de Roberta Miranda. Irretocável.

Onipresente

"Deus está no meio de nós, sendo Onipresente, inspirando-nos como Onisciente e, sendo Único digno de adoração, por ser Onipotente". Antônia Amorosa, na apresentação do seu livro "Eclesiastas em Septilha" - 1ª Ed. Sercore.