Márcio defende economia verde

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/06/2012 às 15:52:00

O deputado federal Márcio Macêdo (PT) defendeu ontem a economia verde, sustentabilidade e a importância deste debate para a sociedade. "Espero que a partir da Rio+20 as pessoas, no mundo inteiro, não aceitem mais a possibilidade de falarmos do nosso futuro sem articularmos, no mesmo pensamento e discurso, os aspectos ambientais, sociais e econômicos da sustentabilidade, de forma articulada e indivisível", afirmou.
Foi para chegar a este conceito que Márcio apresentou como o mundo tem discutido o desenvolvimento sustentável nos últimos 40 anos, desde que foi realizada a primeira conferência mundial sobre meio ambiente, na cidade de Estocolmo, na Suécia. Foi naquela oportunidade que se criou o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma).
Segundo Márcio, "nas décadas seguintes, o debate ecológico assumiu status de assunto chave na agenda global, e a consciência ambiental se expandiu a partir da percepção dos limites da exploração econômica da natureza e da apreensão generalizada em torno da ameaça à biodiversidade mundial, amadurecendo as bases para a realização da segunda conferência sobre o tema, a Rio92".
Neste encontro foi criada a Agenda XXI, que estabeleceu um acordo básico sobre florestas e foi assinada a Convenção da Biodiversidade - CDB. Para Márcio, "de um clima de desconfiança, causado pela percepção dos países mais pobres de que a agenda ambiental poderia ser uma armadilha que levaria ao congelamento do desenvolvimento, evoluiu-se para uma concepção de desenvolvimento econômico que deveria incluir o combate à pobreza, a promoção da democracia, a proteção do meio ambiente e o compromisso ético com as futuras gerações".
Feito este traçado histórico, o deputado voltou o discurso para os documentos preparatórios da Rio+20, todos focados na economia verde como solução para o desenvolvimento sustentável e para a erradicação da pobreza. A partir do relatório do Pnuma, do documento da Contribuição Brasileira e do capítulo III, do Esboço Zero da ONU, Márcio explicou como deve ser feita a transição para a economia verde.