Brasil pega a Turquia para manter invencibilidade de Dunga na Seleção

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O Brasil sempre foi superior à Turquia, em todos os jogos realizados até agora
O Brasil sempre foi superior à Turquia, em todos os jogos realizados até agora

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 12/11/2014 às 00:01:00

Istambul - A goleada sofrida para a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo, por 7 a 1, levantou um tom de desconfiança, sobre como a seleção ficaria após a competição. Mas, ao que tudo indica, o Brasil está renovado e pronto para "engatar a quinta". O próximo desafio diante da Turquia, nesta quarta-feira, às 16h30, no estádio ?ükrü Saraço?lu, do Fenerbhaçe.
Desde que Dunga assumiu a seleção após a Copa do Mundo a equipe ainda não perdeu. Foram quatro jogos contra Colômbia, Equador, Japão e Argentina e quatro vitórias. Apesar do futebol apresentado em campo não ter empolgado como era antigamente, a seleção vem vencendo e, aos poucos, mostrando que ainda coloca medo nos adversários.

Este será apenas o sexto confronto entre Brasil e Turquia, e o retrospecto é favorável à seleção canarinha. Em cinco jogos, foram três vitórias da seleção, dois empates e nenhuma derrota.
Com novidades, Brasil vai pra cima - Apesar de jogar na casa do adversário o Brasil está pronto e preparado para aguentar a pressão da torcida turca, uma das mais apaixonadas do mundo. Apesar de algumas novidades na convocação como Luiz Adriano, Neto, Mario Fernandes e Casemiro, o time titular não deve sofrer tantas alterações.

Diego Alves, do Valencia-ESP, será o goleiro titular. A outra mudança será a presença do volante Fernandinho, que disputou a Copa de 2014, mas que não tinha sido chamado nas últimas convocações. Por fim, o ataque será formado por Neymar e Luiz Adriano, artilheiro da Liga dos Campeões com nove gols marcados.
Sabendo que o atacante do Shaktar Donetsk atua de forma diferente em relação à Tardelli, Dunga avisa que o time deve ter uma postura diferente em campo.
- O time vai mudar por ele (Luiz Adriano), ter uma característica diferente, mas vamos dar liberdade para ele se movimentar. Ele joga mais fixo no Shakatar porque tem muitos jogadores de mobilidade ao redor, afirmou o treinador.

Apesar de ser um país com pouca tradição no futebol, a Turquia sempre deu trabalho quando enfrentou o Brasil em confrontos anteriores. Os mais marcantes foram na Copa do Mundo de 2002, quando o Brasil venceu por 2 a 1 na fase de grupos e 1 a 0 na semifinal. Jogando em casa e com o apoio da torcida, a Turquia quer deixar o retrospecto negativo para trás e, enfim, derrotar a seleção pentacampeã mundial.
Com relação ao time da Turquia os destaques ficam por conta dos meias Arda Turan, vice-campeão da Liga dos Campeões com o Atlético de Madrid, e Nuri Sahin, do Borussia Dortmund.