Seleção Brasileira encerra temporada na Áustria e quer invencibilidade era Dunga

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Dunga comandou um treino secreto para os jogadores da Seleção Brasileira e confirmou a mesma equipe que venceu a Turquia
Dunga comandou um treino secreto para os jogadores da Seleção Brasileira e confirmou a mesma equipe que venceu a Turquia

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/11/2014 às 00:08:00

A seleção brasileira disputa nesta terça-feira 18, um amistoso com a Áustria para tentar encerrar com uma nota positiva, um ano que ficará marcado como um dos piores da sua história, com a goleada humilhante sofrida em casa para a Alemanha nas semifinais da Copa do Mundo.
Depois do fatídico 7 a 1 para os alemães e da derrota por 3 a 0 para a Holanda na disputa pelo terceiro lugar, a volta de Dunga ao comando gerou fortes críticas. Mas o fato é que o treinador ostenta 100% de aproveitamento nos cinco primeiros amistosos que comandou.
Foram 12 gols marcados e nenhum sofrido, com vitórias sobre adversários de respeito, como Argentina (2x0) e Colômbia (1x0).

O bom desempenho em amistosos, dificilmente pode ser usado como parâmetro, mas a seleção mostrou que pode estar no caminho certo, mostrando solidez defensiva e inteligência tática. Também tem sido fundamental a grande fase de Neymar, que marcou sete gols em cinco jogos depois do Mundial.
Polêmica com Thiago Silva - Mesmo assim, nem tudo são flores na nova era Dunga. Fora das quatro linhas, o técnico tentou melhorar seu relacionamento com os jornalistas. Só que desta vez, os atritos nos bastidores não aconteceram com a imprensa, mas dentro do grupo.
Em setembro, o veterano Maicon foi cortado por indisciplina, por ter se apresentado com sete horas de atraso depois da folga entre os amistosos com Colômbia e Equador.
Na Áustria, o problema veio de Thiago Silva. Capitão da seleção na Copa, o zagueiro não digeriu o fato de ter perdido a braçadeira de capitão para Neymar e lamentou publicamente no domingo, o fato de o atacante não ter conversado com ele sobre o assunto.

Uma conversa entre os dois aconteceu poucas horas depois das declarações polêmicas do ex-capitão à imprensa, e nesta segunda-feira ambos os jogadores deixaram claro que a paz estava selada.
"O mais importante é eu estar com a consciência tranquila. O Neymar e o Dunga também. Tive que esclarecer algumas coisas. Algumas não eram verdadeiras. Neymar entendeu a minha intenção. Tenho-o como um irmão e não será por essa braçadeira que isso vai acabar", explicou o zagueiro antes do último treino de preparação para o jogo, no estádio Ernst Happel de Viena.
"Fiquei surpreso com a declaração. Disse para ele e para todos os jogadores que precisamos ter cuidado com o que falamos. Ele me chamou para uma conversa, mas não abalou em nada a nossa amizade. Levei numa boa", afirmou o atacante.

Treino final - Não tem mistério. A Seleção Brasileira ganha a cada jogo e treino um entrosamento e esquema tático definido que já dá para decorar a escalação. O técnico Dunga procurou privacidade para treinar as jogadas ensaiadas e atividade tática nesta segunda-feira 17, véspera do jogo, não hesitou um segundo para responder qual será a escalação que enfrentará a Áustria nesta terça-feira às 19 horas (16 horas de Brasília).
- Será o mesmo time que venceu a Turquia - disse o técnico. Ou seja: Diego Alves, Danilo, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Fernandinho, Neymar; Willian, Luiz Adriano e Oscar.
A Seleção Brasileira busca no jogo contra a Áustria a sexta vitória consecutiva sob o comando de Dunga. Até agora foram cinco vitórias, 12 gols marcados e nenhum sofrido.

Áustria em ascensão - O clima aparentemente mais ameno não mudará em nada a situação de Thiago Silva dentro de campo. Dunga fechou o último treino, mas adiantou que iria repetir a escalação da última quarta-feira, quando o Brasil goleou a Turquia por 4 a 0, em Istambul.
Por isso Thiago vai amargar novamente o banco de reservas, dando lugar à dupla formada por Miranda e David Luiz.

Com ou sem o 'Monstro', o Brasil tem tudo para sair vitorioso de Viena. Longe de sua era dourada da década de 50 - quando ficou em terceiro lugar na Copa do Mundo disputada na vizinha Suíça em 1954 - a seleção austríaca não disputa uma Copa do Mundo desde 1998, quando foi eliminada na primeira fase.
Mas dias melhores parecem estar por vir. Os austríacos estão fazendo um ótimo início de campanha nas eliminatórias para a próxima edição da Eurocopa, liderando o grupo G de forma invicta, com uma confortável vantagem sobre as favoritas Suécia e Rússia.
No último sábado, não tiveram dificuldade para derrotar os russos por 1 a 0 no mesmo estádio da partida contra o Brasil. A importante vitória foi conquistada apesar da ausência de seu melhor jogador, o lateral Davod Alaba, do Bayern de Munique. Alaba também não enfrenta o Brasil por causa de uma lesão nos ligamentos do joelho direito.

ÁUSTRIA X BRASIL

Local: Estádio: Ernst Happel, em Viena. Árbitro: William Collum (Escócia), auxiliado por seus compatriotas Graham Chambers e Stuart Stevenson.

ÁUSTRIA: Almer; Klein, Dragovic, Hinteregger, Fuchs - Harnik, Leitgeb, Junuzovic, Ilsanker, Arnautovic - Marc Janko. Técnico: Marcel Koller.

BRASIL: Diego Alves; Danilo, Miranda, David Luiz, Filipe Luís - Luiz Gustavo, Fernandinho - Oscar, Willian, Luiz Adriano - Neymar. Técnico: Dunga.