Maria se diz preocupada com crescimento da aids

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 02/12/2014 às 09:44:00

Ao destacar o empenho e o incansável trabalho do médico Almir Santana, coordenador do núcleo de DST/Aids da Secretaria estadual de Saúde de Sergipe, a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) aproveitou o dia 1º de dezembro, quando se celebra o Dia Mundial da Luta Contra a Aids, para revelar a sua preocupação com o elevado número de novos casos da doença que tem afetado, sobretudo, adolescentes e jovens.
Dados revelam que, a cada ano, são notificados pelo menos 33 mil novos casos da doença. "Isso é muito preocupante. Mais alarmante, ainda, é que 60% dos pacientes com o vírus (HIV) ou com a doença já manifestada são pessoas com relações estáveis", observou a senadora, ao chamar a atenção dos pais, das escolas e dos demais segmentos, como a igreja, para a necessidade de levar esse tema adiante, de modo a conscientizar, sobretudo, os jovens sobre a doença e os riscos de contaminação.
"As pessoas estão morrendo ou sobrevivendo precariamente com o vírus. Isso é muito sério. Precisamos como pais, como avós ou, simplesmente, como cidadãos, chamar a atenção da juventude para esse problema. Educando as crianças e os jovens, certamente, no futuro teremos menos gente infectada. Não podemos negligenciar", apelou Maria do Carmo, ao lembrar que milhares de pessoas vivem hoje com o vírus HIV.
Considerando o grande número de homens e mulheres que convivem, sem saber, com o vírus HIV, a senadora ressalvou a necessidade de se fazer o exame. "Infelizmente, muitas dessas pessoas desconhecem a sua condição soropositiva. E sem os cuidados preventivos, tendem a continuar disseminando o vírus", disse Maria, reeleita em outubro passado, acrescentando que, no mundo há uma média de cinco novas pessoas infectadas para cada duas que iniciam o tratamento.