A celebração da vida

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/12/2014 às 11:15:00

* Rômulo Rodrigues

No último dia quatro, quinta feira, aconteceu em Sergipe, no município de Malhador, mais precisamente na antiga Fazenda Tinguí, o rito de passagem que coroou uma luta de 18 anos com a definitiva legalização do assentamento Marcelo Deda.
Um evento com tamanha magnitude pela celebração da vida com presenças como as do Ministro do Desenvolvimento Agrário Miguel Rosseto, do presidente nacional do INCRA, Sr. Guedes, do presidente da EMDAGRO Jéferson Feitosa, representando o Governador Jackson Barreto, da Prefeita Municipal, do Deputado Estadual, Eleito Deputado Federal, João Daniel participante daquela ocupação e um dos fortemente reprimidos com prisões pelo governo conservador da época, da Sra. Eliane Aquino, viúva do Homenageado, da Deputada Estadual Ana Lúcia reconhecida pelos assentados como defensora daquela e de outras lutas e a Deputada Estadual Conceição, também parceira do movimento, não recebeu a mínima atenção da mídia local o que demonstra o caráter do alinhamento dos donos da opinião publicada com seus sócios do Agro negócio e suas prioridades em defenderem os interesses dos alimentos com veneno que provocam milhões de mortes em vez de celebrarem a Vida pela produção de Alimentos Orgânicos.
Chamava a atenção a robustez e o vigor dos produtos como o  Jerimun, Banana, Abacaxi, Maracujá, Batata Doce, Pimentas variadas, Milho, Feijão além dos nativos como Manga, Caju e Coco o que, com certeza, venceriam qualquer concurso de beleza contra os envenenados do agronegócio.
Foi com toda autoridade e propriedade reconhecidas em todo o Estado de Sergipe e consagradas nas urnas nas últimas duas eleições que o deputado João Daniel chamou a atenção para a força do agronegócio na mídia e no parlamento e para a necessidade dos Movimentos Sociais e dos que tem compromisso com o desenvolvimento sustentável se unirem para derrotarem o agro veneno e alavancarem a Agro vida.
O Deputado também alertou que a maioria do judiciário brasileiro milita na trincheira dos que são contra a reforma Agrária.
João demarcou um novo campo; não se luta mais por uma Reforma Agrária de resolução de conflitos e sim de um novo Paradigma que é o de produzir alimentos que garantam a vida das pessoas. A Reforma Agrária como propulsora do desenvolvimento do País.
O assentamento Marcelo Deda, homenageado pela sua luta quando ainda era Deputado Federal, tem 1.980 hectares que foram distribuídos para 250 famílias de assentados o que dá algo próximo de 8 hectares por família.
O que mais emocionou os presentes ao ato, inclusive às autoridades foi a Força do Hino do MST, cantado a plenos pulmões pelos integrantes do Movimento e acompanhado por vários dos presentes, " Vem teçamos a nossa Liberdade, braços fortes que rasgam o chão, sob a sombra de nossa valentia desfraldemos a nossa rebeldia e plantemos nesta terra como irmãos: Vem, lutemos punho erguido. Nossa Força nos leva a edificar. Nossa Pátria livre e forte, construída com o Poder Popular.
Braços erguidos ditemos nossa história, sufocando com força os opressores, hasteemos a bandeira colorida, despertemos esta pátria adormecida.
O amanhã pertence a nós trabalhadores!
Vem, lutemos punho erguido.
Nossa força nos leva a edificar. Nossa Pátria livre e forte, construída pelo poder popular.
Nossa força resgatada pela chama da esperança no triunfo que virá, forjaremos desta luta com certeza, Pátria livre operária camponesa, nossa estrela enfim triunfará"!  
Foi essa força, juntamente com as outras forças vivas da sociedade que levaram a Presidenta Dilma à vitória e por isso ela tem o compromisso de acelerar o processo da Reforma Agrária que é a maior dívida que ela trás do primeiro mandato.
* Rômulo Rodrigues é militante político