Prevenção doméstica da dengue preocupa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 18/07/2012 às 14:36:00

Este tem sido o período chuvoso com menor infestação predial de dengue em Aracaju nos últimos quatro anos, com um índice de 2,7 de infestação da doença. Os números fazem parte do 4º Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypt (LIRAa) realizado no período de 2 a 6 deste mês. No inverno de 2009, o índice de infestação era de 3,7. Há dois anos, o número caiu para 3,1 e em 2011, 2,8.

O levantamento  apontou que dois bairros em Aracaju apresentam risco de surto de dengue - Santa Maria e Cidade Nova. A Prefeitura Municipal de Aracaju alerta que, apesar do aumento de visitas dos agentes de endemias aos domicílios, 33 bairros da capital apresentaram casos da doença.

Concentração das larvas do mosquito Aedes aegypti nas lavanderias e em depósitos domiciliares foram os motivos apontados para o aumento dos casos de dengue em Aracaju. Ao todo foram registrados no primeiro semestre de 2012 cerca de 1.400 casos confirmados.

Visitas - Os dados também revelam que de 2007 a 2011 houve um aumento de 25,41% no número de visitas aos domicílios. "Tivemos uma queda no número de infestações em relação aos anos anteriores, mas o problema está dentro de casa. A dengue virou uma endemia, pois ela é predial e pode ser encontrada em qualquer bairro", afirma o prefeito Edvaldo Nogueira, ao apresentar os dados na manhã de ontem ,  durante coletiva à imprensa realizada no Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos. "Além disso, cerca de 300 agentes de endemias visitam os domicílios para conscientizar a população", destacou.

O conjunto Valadares, no Santa Maria, e o bairro Cidade Nova estão em alerta. Os bairros apresentam alto índice de surto de dengue. Em maio, o bairro Santa Maria apresentou 2,1% do Índice de Infestação Predial (IIP), valor considerado de alerta. Já em julho o IIP subiu para 5,1%, considerado risco de surto. Já o bairro Cidade Nova apresentou em julho o índice de 5%.

Os bairros Atalaia, Coroa do Meio, Aeroporto, Farolândia e 18 do Forte estão em situação de alerta, pois tiveram um aumento do número de casos confirmados. Mas, de acordo com a Prefeitura Municipal de Aracaju, não foi registrado em 2012 nenhum caso de dengue hemorrágica foi registrado em Aracaju.

Prevenção - O prefeito informou que várias ações de prevenção já estão sendo realizadas nos bairros de risco, alertando que o mosquito está dentro das casas. Edvaldo Nogueira disse  que a PMA também está monitorando quinzenalmente as áreas de risco, com a aplicação de fumacê nos bairros de maiores índices e campanhas educativas, mas que essas ações são insuficientes sem a participação da sociedade, ao mencionar que mais uma vez o LIRAa mostrou que o mosquito não está nas ruas, mas dentro dos domicílios.

Nos bairros com maior infestação, a presença de  lavanderias preocupa. O levantamento revela que 62,1% dos focos estão nos reservatórios de água. Os depósitos domiciliares (vasos e pratos de plantas, ralos, lajes, sanitários em desuso, etc.) são o segundo maior problema, com 30,6%. Já os Entulhos e resíduos sólidos ficam em terceiro lugar com 7,3% dos focos encontrados.

"Sabemos que quando os números caem, as pessoas acabam relaxando um pouco com os cuidados essenciais, mas é preciso redobrar a atenção. A Prefeitura está fazendo seu trabalho, ações educativas, forças-tarefa, visitas domiciliares, aplicação do fumacê costal, mas precisamos que os cidadãos também nos ajudem nessa guerra contra o mosquito", alertou o prefeito.