SSP inaugura laboratório contra lavagem de dinheiro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 18/12/2014 às 10:04:00

Foi inaugurado ontem pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) o Laboratório de Tecnologia Contra Lavagem de Dinheiro (LAB-LD), implantado em parceria com o Ministério da Justiça. A cerimônia aconteceu na Academia de Polícia Civil (Acadepol) e foi prestigiada pela secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki.
A estrutura, pertencente à Polícia Civil e montada dentro do prédio da Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (Emgetis), fará parte da Rede Nacional de Laboratórios Contra a Lavagem de Dinheiro (Rede-Lab), que contará com outras 42 unidades do tipo no país. Os laboratórios utilizam soluções de análise tecnológica em grandes volumes de informações, dando apoio a investigações de casos de lavagem de dinheiro ou corrupção, que envolvam quebras de sigilo bancário de inúmeras contas, sigilos telefônico e fiscal, durante grandes períodos.  
"Temos apertado o cerco à lavagem de dinheiro e aos bens adquiridos de forma ilícita. Novas tecnologias para cruzamento de dados e acordos internacionais, inclusive com países que hospedam paraísos fiscais, estão quebrando a espinha dorsal do crime, que é praticado no mundo associado à corrupção e até mesmo ao terrorismo", destacou a coordenadora do Laboratório contra a Lavagem de Dinheiro em Sergipe, delegada Danielle Garcia.
O secretário-adjunto da SSP, João Batista Santos Júnior, destacou que a data é histórica para a segurança pública do Estado. "O laboratório é um sonho que está se realizando. Desde a criação do Departamento de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública (Deotaop) sabíamos que necessitaríamos de uma ferramenta com essa. Esse equipamento vai melhorar muito as nossas investigações e colaborar, sobremaneira, com todos os órgãos que trabalham com investigação de crimes econômicos", disse o secretário.
Durante a solenidade, o Governo de Sergipe recebeu do Ministério da Justiça um investimento de R$ 649.703,12 em equipamentos de proteção, armamentos e munições de vários calibres. Foram ao todo 40 carabinas, 72 pistolas, 20 metralhadoras de 30 tiros, 42 escudos com caneleiras anti-tumulto, quatro espingardas calibre 12, 10 escudos balísticos e 39.100 munições.