Governo discute melhorias para a cadeia de laticínios de Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O  encontro discute melhorias na cadeia produtiva de leite
O encontro discute melhorias na cadeia produtiva de leite

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 31/12/2014 às 10:08:00

Discutir e apresentar propostas para melhorias no setor de laticínios para o seu crescimento no Estado. Foi com esse objetivo que os secretários Saumíneo Nascimento, do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec), e Francisco Dantas, da Agricultura (Seagri) estiveram reunidos com produtores e empresários sergipanos do segmento, nesta última segunda-feira do ano. Também estiveram presentes o presidente do Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS), José do Patrocínio e o diretor financeiro da Fapitec, Josenito Oliveira - ambos os órgãos vinculados à Sedetec -, além de técnicos da Emdagro e da Seagri.
De acordo com o secretário Francisco Dantas, a produção do leite passou a ser uma atividade muito importante para Sergipe, onde existe uma gama enorme de pequenos e médios produtores empregando gente, gerando riquezas e melhorando a qualidade de vida da região. "A queda no preço do leite ocorrida nesse momento é um dos fatores que nos preocupa muito e precisamos agir para manter viabilizada essa atividade econômica, que é de interesse de todos, de quem produz, de quem compra e do Estado, pela relevância que a atividade tem, principalmente no alto sertão sergipano", observou.

"Vamos discutir alternativas para ampliar a busca de ações que mantenham Sergipe como uma bacia leiteira importante, já que o Estado produz mais de 2% do leite comercializado no país, embora seja o menor de todos", comenta o secretário da Agricultura, ao destacar que a ideia é aumentar e até dobrar a produção sergipana, gerando empregos e renda. Para isso, a abordagem principal da reunião foi entender a dinâmica que está acontecendo com a cadeia do leite e construir alternativas de desenvolvimento.     
Conforme o secretário Saumíneo Nascimento analisou, Sergipe tem apresentado crescimento na sua produção de leite, inclusive com a modernização produtiva dos laticínios implantados no estado. "Entendemos que a Sedetec e a Seagri devem trabalhar juntas para a busca da melhoria dos índices de produtividade (por animal e área), daí a presença de colegas da ciência e tecnologia para discutirmos com técnicos da Emdagro projetos que viabilizem esta premissa", contou.

Saumíneo mostrou satisfação em saber que os empreendedores estão em constante processo de ampliação de suas capacidades de produção, o que é motivador também para os produtores de leite local. "Além disso, verifica-se uma ampliação na mixagem de produtos nas agroindústrias aqui instaladas, que começam a inserir a questão do leite em pó como importante produto de comercialização. Temos expectativas de investidores locais e já recebemos sinalização de investidores de fora do estado que pretendem se implantar em Sergipe para trabalhar a comercialização do leite e seus derivados aqui na Região Nordeste", concluiu.

Para o empresário Flávio Dantas, proprietário da Natville Laticínios, de Nossa Senhora da Glória, a desaceleração da economia mundial teve efeito observado na economia local e por isso a queda no preço do leite que atualmente está em R$ 0,75. "Essa reunião foi bastante proveitosa por promover o diálogo entre produtores e governo, a fim de que conheça a real situação do setor e promova ações para que não haja um desestímulo por parte do produtor", afirmou o responsável pela empresa que hoje produz 200 mil litros de leite ao dia e gera 300 empregos diretos na região. "Nossa previsão é de que até 2016 possamos ampliar a capacidade instalada nas fábricas de Glória e Canindé, onde esperamos produzir 400 mil litros de leite ao dia, em cada uma, já que uma fábrica complementa a produção da outra", explicou Flávio.

Também de Nossa Senhora da Glória, o proprietário da Latimilk, Willame Martins, destacou sua satisfação em participar da reunião. "Foi importante tocarmos em alguns pontos primordiais para o segmento. Há muito tempo estávamos necessitando desse espaço para debater sobre uma causa tão importante e com prospecção de crescimento no Estado. A Sedetec está de parabéns por essa iniciativa", ressaltou. "Espero que desse encontro saiam resultados positivos para laticínios e produtores que estão sofrendo com a baixa do preço do leite, observada desde agosto último, quando negociamos o litro a R$ 1,12 e hoje só conseguimos por R$ 0,75", reforçou Rubens Rodrigues, da Cooperativa dos Pecuaristas e Agricultores União, do município de Porto da Folha, acrescentando que essa época de verão é quando o produtor sofre mais, pela falta de pasto natural e os custos que precisa ter para manter o gado produzindo.