O lixo nas ruas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/01/2015 às 00:33:00

O lixo acumulado na porta das casas é prova. A gestão do prefeito João Alves Filho à frente da Prefeitura Municipal de Aracaju tem tudo para ser lembrada como um período em que medidas esdrúxulas ganharam corpo e a sujeira ameaçou empestear as ruas da cidade. Trator no leito do Rio Sergipe, asfalto sobre pedra portuguesa, aumento de tarifas e impostos, além de uma greve desnecessária, comandada pelos profissionais responsáveis pela limpeza das vias públicas de Aracaju. Tudo isso foi João quem fez.
O impasse entre a Prefeitura e a empresa terceirizada responsável pela coleta de lixo na capital sergipana coloca em xeque a capacidade administrativa do prefeito João Alves Filho. Eleito com a promessa de vencer todos os desafios enfrentados por uma cidade em franco crescimento num estalar de dedos, como se fosse uma simples questão de vontade, o prefeito não tem dado conta nem mesmo do feijão com arroz.

Ao invés do esperado empenho no confronto com os reais problemas da cidade, no entanto, a Prefeitura prefere continuar investindo em desvios, paliativos e peças de ficção. Ao invés de abrir um canal de diálogo com os representantes sindicais que poderiam por fim à ameaça de paralisação, preferiu se trancar com os empresários do setor. O prefeito poderia acolher as reivindicações dos trabalhadores, que realizam um serviço insalubre e fundamental ao bem estar da cidade, mas preferiu ouvir as queixas e desculpas dos engravatados. Agora vai ter de arcar com a reação do populacho.
O prefeito João Alves Filho erra ao ignorar o justo pleito dos trabalhadores. A greve que inicia hoje, sem data pra acabar, tem a sua assinatura, igualzinho a qualquer despacho.