Aracaju é um lixo só

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/01/2015 às 00:38:00

É intolerável a situação constatada hoje em Aracaju em relação à falta de coleta do lixo urbano. Por conta de um impasse entre trabalhadores e patrões, milhares de toneladas de lixo se acumulam a cada hora nas ruas, calçadas, esquinas, praças e calçadões do Centro da cidade. Chega a ser vergonhosa a cena. E não há cidadão consciente que não fique indignado com o descaso.
Ontem, durante todo o dia, os três calçadões do Centro de Aracaju (ruas João Pessoa, Laranjeiras e São Cristóvão) estavam tomados por lixo. Justo num momento em que a cidade, outrora famosa pelo zelo com a limpeza, recebe uma razoável quantidade de turistas para as férias de verão. Cenas lamentáveis. Restos de comida, papéis inutilizados, garrafas, latas, excrementos. Tudo a gosto da imundície que degrada o homem e ameaça o meio ambiente.

Nesse momento, não basta discutir se os garis e margaridas estão corretos em suas reivindicações trabalhistas, ou se os patrões acertam ao não atender aos pedidos. Importa é a saúde do povo que frequenta esses locais por onde o lixo se espalha a cada instante. Se não há coleta, não há como evitar o pior. Ainda mais quando se constata a ação de certos vândalos colaborando para proliferação indevida do entulho pelas ruas, como mostraram reportagens de televisão publicadas na terça e quarta-feira.
O lixo espalhado nas ruas de Aracaju de forma criminosa, principalmente no Centro da cidade, é uma espécie de declaração de guerra à civilização. Um atentado à saúde coletiva. Não somente ao visual. E tudo isso justamente numa época em que lixo é um produto valioso. A tecnologia de reciclagem avança cada vez mais e o homem está conseguindo dar destino produtivo aos resíduos. Não era para o lixo ser uma ameaça, e sim um aliado. Mas falta conscientização nos ambientes humanos.

Pena que aos de fora, essa situação transparece uma cidade de bárbaros, de indigentes desprovidos de qualquer limite de higiene. Outros municípios da Grande Aracaju, a exemplo de Socorro, Laranjeiras e Barra dos Coqueiros, também sofrem com problemas semelhantes. E tudo isso por conta de impasses em negociações trabalhistas. A empresa Torre, poderosa nesse campo de atuação, parece não trabalhar a questão com sapiência. Ou então existe algo muito mais conturbador por trás disso tudo.
Segundo a imprensa, os trabalhadores da limpeza querem reajuste salarial de 15,35%, com o objetivo de atingir um piso salarial de R$ 879. Ou seja, hoje recebem uma miséria para um serviço tão digno e tão necessário. Além disso, a categoria defende a concessão de plano de saúde, auxílio alimentação no valor de R$ 18 por dia e pontos de apoio para atender aos profissionais durante a jornada de trabalho, além de auxílio creche no valor de R$ 200 mensais. Isso é muito?

"A Torre queria que a gente suspendesse a greve e pediram oito dias para apreciar a proposta, mas a greve continua porque os nossos pontos não foram atendidos", revelou ontem Anderson Vidal, vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Limpeza Pública e Comercial de Sergipe (Sindlimp). E enquanto as toneladas de lixo se acumulam em vários pontos de Aracaju, sepultando de vez o título de capital mais limpa do Brasil, a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), a Prefeitura de Aracaju e todos os demais envolvidos na celeuma ficam batendo cabeça, e o pior, sem conseguir mirar qualquer solução. Que lixo.

"A política é como a esfinge da fábula: devora todos que lhe não decifram os enigmas"
Antoine Rivarol

Plano B
Dois fatos marcaram a noite de ontem nessa história do lixo. Um foi o plano B colocado em prática pela Prefeitura de Aracaju. Convocou garis e margaridas da Emsurb e realizou uma breve assepsia nos calçadões do Centro e ruas do entorno. Outro foi a ação truculenta da Polícia Militar que enviou várias viaturas com homens fortemente armados para intimidar os trabalhadores em greve que faziam uma manifestação pacífica na porta da empresa Torre, no bairro São Conrado. Lamentável.

Posses no Sebrae
Será hoje, às 19hs, a posse dos novos membros da Diretoria Executiva e dos Conselhos Deliberativo e Fiscal do Sebrae/Sergipe. A solenidade acontecerá no auditório da Federação das Indústrias de Sergipe (Fies). O empresário Gilson Figueiredo ocupará a presidência do Conselho Deliberativo, enquanto Emanoel Sobral será o superintendente, Marcelo Barreto o diretor Técnico e Eduardo Prado Oliveira Júnior, diretor Administrativo Financeiro. No Conselho Fiscal estarão Epifânio Fontes de Góes, José Normando da Mota e Élida Maria Cândida (titulares), Raido Vieira Menezes, José Antônio Valente Dias e Pedro Xavier de Melo Neto (suplentes). O mandato de todos os representantes é válido para o quadriênio 2015/2018.

 Posses na Defensoria Pública
Três novos defensores públicos serão empossados na segunda-feira, dia 12, às 17h. Farão parte do quadro da Defensoria Pública do Estado Carolina Sales Melo e Melo, Matheus Pacheco Franco e José Guilherme Leite Cavalcante Filho. A solenidade acontecerá no Auditório Defensor Público Rubens Murilo Machado, na Central de Atendimento Defensora Diva Costa Lima, localizada na avenida Barão de Maruim, 94, em Aracaju. Hoje o órgão possui menos de 100 defensores para atuar nos 75 municípios sergipanos, sendo que muitos deles estão afastados da função por variados motivos.
 
Festa na praia
A cidade litorânea mais festeira de Sergipe - pena que aproveita muito pouco o seu potencial - dará início hoje ao XX Festival de Verão. Até o dia 8 de fevereiro, Pirambu promoverá dezenas de atividades esportivas e recreativas envolvendo toda a comunidade. Entre as modalidades mais badaladas do festival estão o ciclismo, atletismo, futevôlei, vôlei, surf, futebol de areia, muay thai, corrida de canoa, corrida de argola, aquathlon, natação, sandboard e xadrez. "Pirambu mais uma vez fará a diferença na alta estação", aposta o prefeito Hélio Martins.
 
Desafio de Esmeraldo
O desafio do jovem sociólogo e militante social ligado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Esmeraldo Leal, será muito grande à frente da Secretaria de Estado da Agricultura. Por isso mesmo, já na transmissão de cargo feita por Francisco de Assis Dantas, ex-secretário da pasta, Esmeraldo tratou de buscar conhecer os mais variados setores do órgão estatal em busca de um diálogo aberto com os servidores. "Estou incentivado a envidar os esforços necessários para corresponder à confiança da indicação e do referendo governamental", disse, num gesto de agradecimento ao governador Jackson Barreto pela sua surpreendente nomeação.
 
Vai começar
a apuração
Agora é que o sono de muitos deputados estaduais envolvidos até a tampa com o Escândalo das Subvenções da Assembleia Legislativa começa a desaparecer de vez. Já na próxima semana o juiz de Direito José Alcides Vasconcelos Filho pretende ouvir depoimentos de todos os apontados pelo Ministério Público Federal como 'culpados' no uso indevido do dinheiro público. E essa será somente a primeira etapa do processo que dentro de um ano poderá resultar em aplicação de multa, cassação do mandato e inelegibilidade de quem for condenado. Segundo a denúncia, nas mãos do Tribunal Regional Eleitoral, os parlamentares sergipanos são acusados de se beneficiarem eleitoralmente de R$ 12 milhões referentes às verbas de subvenções pagas pela Assembleia em pleno ano eleitoral. Todos negam a culpa. Agora é apurar a verdade.
 
Definição de nomes
Após mais rodadas de conversas com os lideres partidários, o governador Jackson Barreto definiu ontem no final da tarde os nomes para ocupar as secretarias de Cultura (Secult), Desenvolvimento Econômico e Ciência e Tecnologia (Sedetec), além de Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social (Seides).
 
Os nomes
Jackson apontou para Elber Batalha Filho na Secretaria de Cultura. Foi o nome defendido por Valadares Filho para contemplar o PSB. Já Francisco Dantas, nome de Heleno Silva do PRB, ficará com a Sedetec, uma das secretarias mais estratégicas para o crescimento do Estado. Eliane Aquino permanece com o comando da Seides, o que contempla um lado PT e a vontade pessoal de Jackson. Para Mardoqueu Bodano, também do PRB e que preside a Cohidro, poderá ser indicada uma diretoria na Deso. As conversas irão prosseguir. Sabe-se também que ontem o nome do radialista e jornalista Messias Carvalho, que nas batalhas trabalhistas entre os sindicatos da classe de comunicação defende o interesse dos patrões, foi apontado para o comando da Fundação Aperipê. A ver.
 
Campanha
de Cunha
Hoje a comitiva de campanha de Eduardo Cunha, candidato do PMDB à Presidência da Câmara dos Deputados, estará São Luís (MA). Com o deputado sergipano André Moura (PSC) na cola, Cunha encerrou ontem à noite uma turnê pela Região Norte do país, fazendo reuniões políticas em Manaus (AM) e Macapá (AP). Segundo André Moura, Cunha considera fundamental tratar todos os Estados com igualdade e conhecer de perto a realidade local. Por isso em breve essa turma estará passando por Sergipe para confirmar o apoio dos deputados locais na votação que acontece no início de fevereiro em Brasília.