Anfavea diz que venda de veículos caiu 7,1% em 2014

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Em 2014,  foram  vendidos  3,49  milhões  de  veículos  e,  no  ano  anterior,,  3,76  milhões
Em 2014, foram vendidos 3,49 milhões de veículos e, no ano anterior,, 3,76 milhões

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/01/2015 às 22:42:00

A venda de veículos teve queda de 7,1% em 2014, com a comercialização de 3.498.012 unidades na comparação com o ano anterior quando foram negociados 3.767.370 veículos. Em dezembro, foram vendidas 370.028 unidades, com alta de 25,6% em relação a novembro, quando foram licenciados 294.651 carros. Na comparação com dezembro do ano passado - 353.843 veículos vendidos - houve aumento de 4,6%. Os dados foram divulgados hoje (8) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

"Mesmo com a melhora em dezembro, as vendas foram insuficientes para reverter o desempenho no ano. Um ponto positivo foi a retomada do crédito a partir de setembro. A média de financiamentos para carros novos, entre setembro e novembro aumentou 11% contra [o período de] janeiro a agosto" disse o presidente da associação Luiz Moan. Segundo ele, no caso dos carros usados o crescimento foi 10,7%.
Segundo as informações, a produção caiu 15,3% no ano, com 3.146.118 novos veículos montados, ante os 3.712.380 de 2013.  "A queda da produção se alia à baixa exportação e à redução dentro do mercado interno. Tivemos dificuldades na produção, porque havia nível de estoque grande. Há duas maneiras de fazer ajuste: uma é aumentando [a] venda e a outra é reduzindo a produção", explicou Moan.

A indústria automobilística exportou, em 2014, 334.501, 40, 9% a menos do que os 566.299 veículos exportados no ano anterior. Em dezembro, houve queda de 8,7% ante novembro (25.971), com a comercialização de 23.720 veículos no mercado externo.
Moan avaliou que a queda nas exportações é resultado, principalmente, da diminuição das vendas para a Argentina. "Esse país teve dificuldades macroenconômicas no ano de 2014, o que impactou no licenciamento de veículos importados, que foram apenas 683 mil veículos, ou seja, uma queda de 29% em relação ao mercado de 2013."

Segundo a entidade, o setor deve fechar 2015 com as vendas internas repetindo os números de 2014: as exportações podem crescer 1% e a produção, 4,1%. O presidente da Anfavea disse que as vendas devem cair em parte por causa do impacto da volta da cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).
A projeção da Anfavea para este ano reduz a participação dos importados no mercado brasileiro de 17,6% para 16%, o que também deve impactar as vendas no mercado interno.
Sobre os empregos e a crise enfrentada na montadora da Volkswagen, em São José dos Campos, São Paulo, Moan disse que conversou com a direção da fábrica e esclareceu que, durante cinco meses, houve um processo de negociação e um acordo trabalhista entre a empresa e o sindicato dos trabalhadores. "Esse acordo não foi ratificado na assembleia de trabalhadores. A posição da Volks é clara: não haverá demissões em janeiro". Ele acrescentou que as 800 pessoas dispensadas serão colocadas em licença remunerada em janeiro e a empresa e o sindicato terão tempo para conversar.