Menos mal

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/01/2015 às 01:00:00

Menos mal. O número de municípios sergipanos afetados pela estiagem prolongada é menor do que o esperado. Por enquanto, apenas sete cidades foram obrigadas a procurar a ajuda do Governo Federal para lidar com a seca. É a melhor situação dos últimos três anos.
 Ano novo, problemas seculares. Em Monte Alegre de Sergipe, Nossa Senhora da Glória, Poço Redondo, Poço Verde, Frei Paulo, Canindé de São Francisco e Gararu, no entanto, a situação é tão grave quanto sempre foi. A expectativa mais realista é de que outras cidades passem a compor a desafortunada lista antes de os primeiros pingos de chuva começarem a cair. Prejuízo pra todo mundo. Sem a lavoura do homem do campo, acaba sobrando também para quem precisa encher a barriga de comida na tal da cidade grande.

 Pelo menos 29 cidades sergipanas decretaram situação de emergência junto ao Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil de Sergipe (Depec), ano passado. O cumprimento do protocolo consiste, mais das vezes, no último fio de esperança para contar com alguma ajuda do Governo do Estado. Em Poço Redondo, Canindé do São Francisco e Monte Alegre, a situação é tão crítica que os municípios recebem ajuda ininterrupta desde 2011.
 Poderia ser diferente. Vivemos sob o julgo dos poderosos e do próprio tempo. Aqui no nordeste, onde os efeitos climáticos possuem consequências palpáveis no cotidiano de uma parcela bastante significativa da população, o povo olha para o céu como quem encarasse a face de um deus impiedoso, que cobra no sofrimento dos homens uma oferenda ao próprio deleite. Uma bobagem. Ao invés de fechar os olhos, o sertanejo deveria mantê-los bem abertos, em atenção aos governantes.