Projeto busca promover inclusão de catadores de materiais recicláveis

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/01/2015 às 23:21:00

Um projeto desenvolvido por quatro instituições pretende promover a inclusão socioambiental de catadores e coletores de materiais recicláveis secos e de óleo de cozinha do estado de Sergipe, oferecendo assistência técnica e apoio de forma a prepará-los para a atual dinâmica da cadeia da coleta seletiva.
A proposta será apresentada nesta quarta-feira, às 9hs, no auditório do Sebrae a cerca de cem catadores que atuam na Grande Aracaju. A iniciativa é realizada por meio de uma parceria entre o Sebrae, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Secretaria Nacional de Economia Solidária e Ministério do Trabalho e Emprego.

Os trabalhos terão a duração de dois anos e serão desenvolvidos junto aos profissionais da coleta seletiva dos 75 municípios sergipanos. A meta dos gestores é reuni-los em redes inclusivas, permitindo que atuem de forma organizada e aproveitem as oportunidades oferecidas pelo mercado.
Outras metas a serem alcançadas pelo projeto são a implantação da Política Nacional de Resíduos Sólidos em Sergipe e a viabilização de uma logística reversa no setor de reciclagem, que consiste na elaboração de ações que estimulem o reaproveitamento dos materiais coletados por parte das empresas dentro de seus processos produtivos.
 "Os catadores muitas vezes estão situados às margens da sociedade, sofrendo com a desigualdade e a concentração de renda existente no país. Com esse projeto queremos ajudá-los a se reconhecer enquanto trabalhadores e a ser organizar coletivamente, mostrando que é possível construir uma nova história", destaca o superintendente do Sebrae, Emanoel Sobral.

Calendário - Além da reunião desta quarta-feira, também estão previstas outros três encontros de mobilização no mês de fevereiro nas cidades de Nossa Senhora da Glória, Itabaiana e Boquim. O convênio entre as entidades prevê o cadastramento de 1840 catadores de materiais secos e coletores de óleo de cozinha.
É importante lembrar que os profissionais atendidos pelo projeto não deixarão de usufruir os benefícios sociais já conquistados, como o Bolsa Família.