O BANQUEIRO SENHOR DOS NOSSOS DESTINOS

Luiz Eduardo Costa

Quem diria,  entregamos o nosso destino a um banqueiro. Só nos resta agora torcer para que ele acerte e consiga nos salvar do desastre.
Nunca antes na História deste país estivemos tão dependentes de um banqueiro.
Se salvação houver, vai nos custar pesados juros.


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS