Jackson diz que desenvolvimento do Estado passa pela inclusão social

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Jackson Barreto cumprimenta a secretária Marta Leão
O governador Jackson Barreto cumprimenta a secretária Marta Leão

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/02/2015 às 01:02:00

O governador Jackson Barreto empossou na manhã desta quarta-feira, 04, a nova secretária de Estado da Mulher, da Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh), Marta Maria  de Souza Leão, em concorrida solenidade realizada no auditório da Secretaria.  Na ocasião, o governador anunciou o nome do advogado Wellington Mangueira para assumir a presidência da Fundação Renascer.

Jackson Barreto iniciou o seu discurso agradecendo à ex-primeira-dama, Eliane Aquino, por todo o trabalho que desenvolveu na secretaria, e recordou que quando a convidou para continuar na pasta, pediu que ela ouvisse o seu coração para tomar a decisão. Mesmo não estando à frente da Seidh, o governador disse que Eliane continuará colaborando com o seu governo, através de sua competência e conhecimento em Brasília na busca de captação de recursos para a execução de projetos em favor da população.

O governador afirmou que escolheu Marta Leão para assumir a Secretaria por conhecer a sua sensibilidade e o seu trabalho em favor da população. “Meu compromisso, minha história, minha vida, sempre foram marcadas por esse trabalho junto aos setores mais populares. Sei que Marta vai fazer um bom trabalho, organizar uma boa equipe, e desenvolver um trabalho em favor dos mais carentes, pois este é o governo de todos. O nosso projeto é cuidar da nossa gente preparando o Estado para um futuro melhor”, afirmou.

De acordo com Jackson, o compromisso do seu governo é de cuidar dos que estão em situação de vulnerabilidade, com a execução de projetos alinhados às questões ligadas à segurança alimentar, assistência social, infância e adolescência, inclusão e cidadania para todos. “Queremos transformar sonhos em realidade”, reforçou o governador, ao citar o exemplo da ação exitosa na região no Baixo São Francisco que vai colher neste ano uma safra de arroz igual a do Rio Grande do Sul, maior produtor do país.
Por reconhecer que o Estado não tem recursos para desenvolver projetos de desenvolvimento e inclusão nos 75 municípios, Jackson Barreto já orientou seus secretários a definir as 15 cidades que têm o menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) e as maiores taxas de analfabetismo para executarem um plano de ação que venha a alterar essa realidade. Para tanto, ele disse que precisa trabalhar em conjunto com as prefeituras e também não descartou as parcerias público/privadas, dando como exemplo a abertura da Deso para levar saneamento básico e água para os mais longínquos rincões do estado.

Ele também determinou ao secretário da Segurança Pública que defina os 10 municípios com os maiores índices de criminalidade para executar um projeto piloto de combate à violência. "Temos que iniciar com projeto pilotos em determinados municípios, para depois disseminar as ações em outras regiões", destacou.
"Confio na capacidade de Marta Leão. Este governo tem que ter a cara do povo. Vamos governar para todos, mas com um olhar especial para os mais carentes, pois são os que precisam de políticas públicas. Vamos buscar recursos para fazer a nossa parte e chegar ao final do governo com a consciência tranquila do dever cumprido", concluiu o chefe do Executivo.