Luciano quer recuperar imagem do Legislativo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O deputado Luciano Bispo na tribuna da Assembleia
O deputado Luciano Bispo na tribuna da Assembleia

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/02/2015 às 00:56:00

os trabalhos da nova composição da assembleia legislativa começam no próximo dia 19, após a Quarta-Feira de Cinzas, apesar de os deputados eleitos já terem tomado posse no último dia 1º. E o novo presidente, deputado Luciano Bispo (PMDB), comemora o resultado de uma disputa que começou nos bastidores e, com o apoio do governador Jackson Barreto, conseguiu abortar candidaturas que prometiam ser fortes dentro da base aliada, como a de Gustinho Ribeiro (PSD). Para isso, Luciano foi vencendo resistências internas e conquistando até a bancada de oposição, contemplada com dois cargos na Mesa Diretora.

Agora, o presidente se prepara para vencer dois desafios imediatos: recuperar a credibilidade da Assembleia, aumentando os canais de transparência do Legislativo, e lidar com os desdobramentos do escândalo do uso irregular das verbas de subvenção, que explodiu no fim do ano passado e pode resultar na cassação de pelo menos 10 deputados da nova legislatura. Bispo falou ao JORNAL DO DIA sobre estas questões e ainda da possibilidade de também perder o mandato, por conta de acusações de irregularidades cometidas em suas gestões como prefeito de Itabaiana. Luciano se diz tranquilo e atribui estas acusações à rivalidade entre os grupos políticos locais da cidade serrana.
Veja, a seguir, a íntegra da entrevista:

Jornal do Dia - Na disputa pela presidência da Assembleia Legislativa, o senhor praticamente não teve concorrentes e apenas a sua adversária em Itabaiana, deputada Maria Mendonça (PP), votou contra a sua candidatura. O senhor previa esse resultado? Como o senhor conseguiu evitar candidaturas que pareciam fortes, como a de Gustinho Ribeiro?

Luciano Bispo - O resultado da eleição a gente só conhece quando termina a apuração. Claro, no caso da nossa eleição para a Mesa, ele foi resultado de muito diálogo com os colegas. Sobre o voto da Deputada Maria Mendonça, cabe a ela avaliar, mas eu deixo claro que respeito a decisão dela. Quanto ao Deputado Gustinho Ribeiro fiquei muito feliz quando no domingo ele me abraçou e disse que votaria conosco. Ele é um jovem que tem um futuro brilhante na Política de Sergipe.

JD - Desde a confirmação dos eleitos, o governador Jackson Barreto sempre incentivou a sua candidatura a presidente. Até que ponto ele foi decisivo para a sua vitória?
LB - O Governador Jackson Barreto sempre que alguém tratou desse assunto com ele, a resposta foi uma só, construa sua candidatura e foi isso que nós fizemos. É importante ressaltar que a Assembleia estava precisando dessa união e nós entendemos essa necessidade. Por isso o resultado histórico de 23 votos a favor.

JD - Adversários advertiam para a possibilidade de o senhor vir a ser o próximo presidente da Assembleia alegando problemas em suas gestões como prefeito de Itabaiana e um processo que poderia até levar a cassar do seu mandato. O que existe de concreto neste sentido?

LB - Essa é uma história usada pelos meus adversários de Itabaiana. Todas as eleições, desde a primeira, em 1982, que eles sempre pregam que eu não serei candidato, quando registro a candidatura eles dizem que eu não ganharei, quando eu ganho eles dizem que eu serei cassado. Enquanto eles dizem isso, eu já venci quatro eleições para Prefeito, duas para Deputado Estadual e agora essa, para Presidente da Mesa Diretora. Não há nada de concreto sobre isto. Os meus processo são todos administrativos. Em nenhum, eu sou acusado de pegar o dinheiro do Povo para enricar e isso me deixa muito tranquilo.

JD - Existiram mesmo as irregularidades denunciadas durante a sua gestão?

LB - Eu fui prefeito por quatro vezes, são 16 anos. Me aponte um gestor que depois de tanto tempo no poder não tenha processos. Como disse antes, a minha tranquilidade de dialogar com o poder judiciário é que, em nenhum desses processos eu sou acusado de pegar no dinheiro do povo. São sempre questões administrativas e nós estamos provando isso na Justiça.

JD - O senhor teme perder o mandato, ou acha que é um assunto já superado?

LB - Nós não temos nenhuma preocupação em perder o mandato. E digo isso não por está desafiando o Judiciário. Eu nunca afrontei as autoridades. Eu digo isso porque confio na Justiça e sei que as questões administrativas são todas elas justificáveis.
JD - Nos últimos meses a Assembleia vem passando por um processo de desgaste muito grande, culminando com as denúncias contra 23 dos 24 deputados estaduais da legislativa passada, inclusive o seu irmão Arnaldo, por supostas irregularidades no uso de verbas de subvenção. Como o senhor pretende fazer a defesa do Poder Legislativo?

LB - De forma muito simples. Mostrando à Justiça e aos sergipanos que as verbas sociais possuem um papel fundamental na manutenção das Instituições que trabalham em benefício dos cidadãos. Se houve algum problema, que ao final do processo, quando for transitado em julgado, seja constatado o erro, que seja punido. Por enquanto o que temos é a denúncia e as fases do processo acontecerão e nós enfrentaremos isso com tranquilidade.

JD - Na semana passada, o desembargador Cezário Siqueira Neto concedeu liminar a ação do MPE suspendendo a lei das subvenções e proibindo o repasse de recursos do Estado para a Assembleia com esse objetivo. Qual será a sua postura a partir de agora?
 
LB - A decisão do Dr. Cezário Neto já foi acatada por nós. Imediatamente encaminhamos para o nosso Jurídico que está analisando as medidas a serem adotadas no campo da Justiça. Sobre a postura que o Poder Legislativo adotará, essa será uma decisão tomada pelo conjunto dos 24 Deputados Estaduais. Essa não pode ser a decisão de um Deputado.