"Sergipe é um lugar mais desenvolvido e mais igual", diz Jackson

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O GOVERNADOR DISCURSA NA ASSEMBLEIA
O GOVERNADOR DISCURSA NA ASSEMBLEIA


Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 24/02/2015 às 00:01:00

O governador Jackson Barreto participou ontem da sessão na Assembleia Legislativa de Sergipe (AL/SE). Ele apresentou os avanços econômicos e sociais de Sergipe durante o ano de 2014 e os novos projetos e programas que o governo vai promover ao longo da atual gestão.
De acordo com o governador, o trabalho de dedicação e de responsabilidade social do governo de Sergipe elevou os índices de desenvolvimento do Estado para resultados surpreendentes. "Nossos índices de desenvolvimento melhoraram continuamente: somos o estado nordestino com o maior PIB per capita da região e temos a maior renda média familiar do Nordeste. Nosso Índice de Desenvolvimento Humano chegou ao nível de médio desenvolvimento, e em alguns anos poderemos finalmente alcançar a marca do alto desenvolvimento humano. Nesses oito anos, transformamos Sergipe em um lugar mais desenvolvido e mais igual", afirmou.

Em sua mensagem, o governador revelou que, apesar do mundo estar atravessando um período difícil de grave crise, onde os analistas econômicos temem por uma recessão no Brasil, em Sergipe a situação tem sido diferente. "Nosso trabalho é norteado pela ideia de que o desenvolvimento e o bem estar devem chegar a todos os sergipanos. Enquanto o desemprego em todo o mundo crescia a níveis alarmantes, em Sergipe geramos mais de 122 mil empregos entre 2007 e 2014. Nosso setor agropecuário cresceu e se diversificou. Conseguimos atrair centenas de novas indústrias que estão mudando o panorama econômico do estado, criando uma economia cada vez mais pujante, que anda com suas próprias pernas".
"Ao trazermos indústrias para Sergipe, priorizamos sua instalação no interior, transformando a estrutura econômica do estado e distribuindo melhor a produção de riquezas. Sem de descuidar do agronegócio, priorizamos a agricultura familiar", disse.

Jackson lembrou que o ajuste da máquina é necessário para manter o Estado no limite prudencial. "Sem isso, Sergipe seria impedido de receber recursos federais e internacionais, pondo em risco os investimentos necessários ao seu desenvolvimento econômico e social, interrompendo obras e serviços importantes, prejudicando as pessoas e jogando o Estado em uma grave crise que sempre fomos capazes de evitar", reforçou.
O presidente da Casa, Luciano Bispo, destacou a independência dos Poderes Legislativo e Executivo e a boa relação e parceria em defesa da população. "O governador encontra na Assembleia Legislativa parceiros para beneficiar a população. Garanto celeridade na aprovação dos projetos em que o povo sergipano seja o maior beneficiado. É uma alegria receber o governador Jackson Barreto na abertura dos trabalhos da Assembleia".

Homenagem - "Esse novo Sergipe é, também, o resultado do sonho de um homem: Marcelo Déda. Foi ele que, em 2006, viu que era possível tornar a experiência renovadora na Prefeitura de Aracaju em um novo projeto de transformação do Estado, para levar justiça social e prosperidade para o povo sergipano. Ao meu amigo, e companheiro de uma incessante luta por Sergipe, deixo aqui mais um agradecimento a Marcelo Déda. Um agradecimento ainda insuficiente por tudo o que ele fez por seu povo", afirmou emocionado.
Nesses próximos quatro anos, o governador disse que vai continuar investindo muito em infraestrutura hídrica para garantir que Sergipe jamais venha a passar pelo que São Paulo está passando. Uma dessas obras será o Canal de Xingó. Com mais de 305 quilômetros de extensão, o Canal vai levar água para Canindé de São Francisco, Nossa Senhora da Glória, Monte Alegre, Poço Redondo, Porto da Folha, Paulo Afonso e Santa Brígida. O governo já está contratando o projeto técnico da primeira etapa da obra.

Crescimento econômico - O governador informou aos parlamentares sergipanos que nos últimos oito anos, o governo atraiu mais de 100 novas empresas através do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial. Contando apenas o ano de 2014, foram 54 novas indústrias interessadas em investir em Sergipe, com a perspectiva de gerar mais de três mil novos empregos diretos com carteira assinada, o que significa a garantia dos direitos do trabalhador e o fortalecimento de um ciclo virtuoso da nossa economia.
Chegaram a Sergipe empreendimentos importantes como a instalação, em Estância, da Fábrica de Vidros do Nordeste, do grupo francês Saint Gobain, um investimento de R$ 215 milhões que deve iniciar suas atividades no segundo semestre deste ano e gerar centenas de novos empregos. Junto com ela, virão mais três empresas, uma mineradora, uma recicladora e uma transportadora. Para o governador o estado tem condições de criar um polo industrial de vidro na região sul sergipana.

A instalação de duas fábricas de cimento, em Laranjeiras e em Santo Amaro, também vai reforçar o setor minerador do estado. Além disso, foi inaugurado o Centro Empresarial Governador Marcelo Déda, em Tobias Barreto, oferecendo as condições para que o setor têxtil possa prosperar naquela região.
Sergipe também faz parte do seleto mercado automobilístico, com a instalação em tempo recorde da Yazaki, uma das grandes produtoras de componentes automotivos do mundo, abrindo uma nova fronteira produtiva.  A empresa gera 1.500 empregos. "Ou seja: não apenas inserimos Sergipe em um novo setor industrial, mas o fazemos com vistas na modernidade, apontando para um futuro sustentável".
"Ainda este ano entregaremos a nova entrada para Aracaju pela avenida Santa Gleide. E vamos construir a SE-100 Norte, rodovia que vai completar o processo de integração do litoral sergipano e ampliar a ligação do nosso estado ao Nordeste. Contando ainda com uma nova ponte sobre o rio São Francisco, podemos apenas imaginar o novo surto de desenvolvimento que a rodovia vai possibilitar em nosso litoral norte", destacou.

Saúde - O governador Jackson Barreto classificou como ambicioso o programa de reestruturação da rede estadual de saúde lançado pelo governo de Sergipe há oito anos. "Foram R$ 330 milhões investidos em uma reformulação total do sistema, partindo da edificação de uma nova estrutura de atenção básica e passando pela construção de novos hospitais regionais e pela reforma dos já existentes, além da maior reforma da história do Huse", afirmou.
Neste momento o governo está concluindo as últimas 12 Clínicas de Saúde da Família, das 102 que foram planejadas em todos os municípios do interior sergipano. O governo também executou a recuperação e ampliação de quatro hospitais: Propriá, Itabaiana, Nossa Senhora da Glória e Nossa Senhora do Socorro, e a construção dos Hospitais Regionais de Estância e Lagarto, aumentando consideravelmente a oferta de serviços de saúde de alta e média complexidade no interior.